Cinco poemas de Cintia Gushiken | Oceano vermelho

 

Gerd Altmann por Pixabay 

Cinco poemas de Cintia Gushiken

Oceano vermelho


É fases da Lua
Seja no corpo seja no mar
Daí falaria de pedacinhos
Mulher dói
e ao mesmo tempo inflama
ao mesmo tempo
É mil em uma!

*

Amanhecer em Hilda
Profundidade nesse poço
Se tornou uma amiga literária
Todas as vezes em que eu a leio!


 Jody Davis por Pixabay 


Afloro-te,
oceano vermelho
no sul do meu vestido
no norte de suas folhas
Suavemente,
o vento vermelho nos baila
no sul do meu vestido
no norte de suas folhas

*

Os gatinhos
existentes no lugar
misteriosos e Infinitos
Me perco neles
Sempre sozinhos e pensantes
Como se o afeto durasse uma eternidade
A vida mais amena
Muito mais sorridente
Cada um com sua cor
Haja ronronar!

*

Chocolates!


Uma mulher sozinha traduzida com seus chocolates é o empoderamento num dia de glória.
Oculta os espinhos da vida em cada tapete que esconde o que varreram para debaixo deles
Mas, espinhos sob tapetes não espetam os pés femininos?
Não, elas se ocupam saltitantes com os seus chocolates!


Gerd Altmann por Pixabay 




Cintia Gushiken (Tupã/SP) morou 15 anos em Natal e é graduada em Letras (UFRN) com especialização em Holística Qualidade de Vida. Em Natal, integrou movimentos de poesia e atualmente prepara a publicação de seu primeiro livro.


Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

200 palavras/2 minicontos - por Lota Moncada

A POESIA FANTÁSTICA DE ROSEANA MURRAY | PROJETO 8M

Nordeste Maravilhoso - Viva as Mulheres Rendeiras!

De vez em quando um conto - Os Casais - por Lia Sena

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

Preta em Traje Branco | Cordel reconta: Antonieta de Barros de Joyce Dias

UM TRECHO DO LIVRO "NEM TÃO SOZINHOS ASSIM...", DE ANGELA CARNEIRO | Projeto 8M

Uma resenha de Vanessa Ratton | "Caminho para ver estrelas": leitura necessária para a juventude

Resenha 'afetiva' do livro O VOO DA GUARÁ VERMELHA, de Maria Valéria Rezende