Flores: Poemas de Marli Boldori, Isabel Furini, Sonia Cardoso, M. Antonieta Gonzaga, Vera Lucia Cordeiro e Vanice Zimerman

 




A surpresa com as flores

Marli Boldori


O céu todo azul anil

Gaivotas voam aos pares,

de repente, o céu escurece

Trovões, relâmpagos, água torrencial.

 levou tudo que estava no solo.

 o colorido das flores ela destruiu.

No entanto, em um lugar

Bem sozinha, pobrezinha.

Uma linda flor ficou,

trouxe esperança e

a todos  com um soluço acordou,

pois a inundação muitas flores

escondidas revelou


**


Um quadro de Monet

            Isabel Furini

No vaso

chinês

as flores

da alma

desejam voar...

Quadro de Monet

Flores

Sonia Cardoso


Em vagas largas e coloridas

De rosas, prímulas e margaridas

No suave balanço, indo e vindo

Num lindo balé oscilante


Sob névoa de pistilos triplos

Alva e efêmera, dente-de-leão

Aspiro a doçura do mel

Na flor branca e miúda


Caramanchões de sapatinhos

De judia e brincos de princesa

Palmeiras, ipês e  agapantos

Riquezas da minha terra.


**


IPÊ

Maria Antonieta Gonzaga Teixeira


Que árvore linda

É o Ipê

Árvore que enfeita e encanta

À luz do dia e ao anoitecer.


Ao escurecer

Na bruma da noite

A flor do Ipê insinua

Curiosidade e mistério.


Ipê amarelo! Que cor feliz!

Cor acolhedora,

Cor da luminosidade

Cor do ouro, da prosperidade.


Ipê rosa, flor romântica e inocente

Reflete tranquilidade.

A flor branca do Ipê

É a cor da brandura e elegância.


Violeta!

Ipê da praça da Matriz

Reluz a cor da espiritualidade

Da riqueza e do respeito.


Ipês espalhados pelas ruas e praças

Ipês floridos….


Todos refletem luz e alegria

Aquarela de amor.


– Na primavera.

**


Flores

                Verda Lucia Cordeiro

Que lindo jardim! 

Magia e beleza emprestam luz e espalham cores, iluminando as flores, que perfumam e seduzem as vaidosas borboletas, que dançam sobre cada uma, abrindo e fechando suas asas, num ritual quase sagrado, onde as flores se entregam sem pudor. 

Assim é a Natureza, repleta de Amor e gentileza.


*

Perfumadas Cores

                    Vanice Zimerman

Fim de tarde –

Debruçadas na floreira

As flores de mel perfumam

As pétalas do gerânio cor-de-rosa

Há um encanto

Nesta sintonia

Bem-vinda harmonia

Que emociona o olhar,

Enquanto, as flores à espera

Das borboletas permanecem -

Uma sensação Zen

Faz-me companhia...




Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

Nordeste Maravilhoso - Viva as Mulheres Rendeiras!

De vez em quando um conto - Os Casais - por Lia Sena

A POESIA FASCINANTE DE ANA MARIA LOPES | PROJETO 8M

Resenha 'afetiva' do livro O VOO DA GUARÁ VERMELHA, de Maria Valéria Rezende

A vendedora de balas - Conto

Resenha do livro juvenil TÃO LONGE... TÃO PERTO, de Silvana de Menezes

UM TRECHO DO LIVRO "NEM TÃO SOZINHOS ASSIM...", DE ANGELA CARNEIRO | Projeto 8M

UniVerso de mulheres 03 Poesia Alemã e Indígena - Três poemas de Márcia Kambeba

Uma crônica de Dalva Maria Soares | "A janta tá pronta?"