A POESIA MÚLTIPLA DE ISABEL FURINI | Projeto 8M

fotografia do arquivo pessoal da autora 

8M (*)

Mulheres não apenas em março. 
Mulheres em janeiro, fevereiro, maio.
Mulheres a rodo, sem rodeios nem receios.
Mulheres quem somos, quem queremos.
Mulheres que adoramos.
Mulheres de luta, de luto, de foto, de fato.
Mulheres reais, fantasias, eróticas, utópicas.
Mulheres de verdade, identidade, realidade.
Dias mulheres virão, 
mulheres verão,
pra crer, pra valer!
(Nic Cardeal)


Mergulhe na poesia múltipla de ISABEL FURINI:


VAN GOGH

Ulula o chicote do tempo
no vulcão das horas,
e no local absurdo,
                       tétrico,
do porão da mente,
o brilho dos quadros
cinzela as noites de insônia.

Enquanto emoções disputam
espaços,
a orelha - banida do tempo -
impulsiona-se para a eternidade.

(* poema publicado na 'Zunái - Revista de Poesia & Debates')

-*-          


-*-
         

QUARTO SEM SOMBRA

Esquecido do mundo, Van Gogh pinta.
Seus quadros são cartografia de subterrâneos anseios
tatuados no corpo e nas mãos.

O eu instintivo
                           (adolescente)
extravasa emoções,
extasia-se nas cores dos trigais,
no voo dos corvos,
nas expressões dos rostos operários,
nas luzes de Arles.

Pinta em um ritmo alucinante,
pinceladas justapostas ganham vida.
Obsessivamente
retrata seu quarto com movimentos compulsivos.

Seu quarto não tem sombras,
ignora-as,
(elas o aterrorizam com suas histórias).
Mas as sombras tentam entrar pela janela entreaberta.
Espreitam
                (invisíveis)
desde as paredes do quarto do quadro do artista.

A loucura perambula pela casa amarela.

(* poema classificado em 1º lugar no 'Concurso de Poesia da Academia Itapemense de Letras', SC, publicado na 'Zunái - Revista de Poesia & Debates')

-*-


-*-


ATITUDES FEMININAS 

Desenterrar os álbuns de fotografias
e triturar com os dentes as lembranças dolorosas
mastigar os rancores com gestos de troglodita
matar velhas ilusões como os santos e os eremitas

pendurar nas cortinas de crochê
as sombras da eterna mágoa e dos antigos amores
para que a luz do Sol elimine o mofo e as traças
que se alimentam das lembranças e das emoções

renascer como a ave Fênix – livre, confiante
e decidida a iniciar uma nova fase da vida.

(* poema publicado na 'Revista Feminina de Arte Contemporânea Ser MulherArte', em 31/07/2020)

-*-

-*-


UMA LOUCA NO ESPELHO

essa louca, às vezes
toca nossos olhos
ela quer sair do calabouço das sombras
ela despreza os deveres impostos
e a falsa moral estabelecida

ela quer expressar
a sua visão do mundo
e discursar com voz rouca
enquanto
olha o seu reflexo nos antigos espelhos
do labirinto
essa louca
nunca é enganada pela vaidade
pois a mente subconsciente pode ser louca
mas possui um espelho que revela a verdade.

(* poema publicado na Revista Literatura & Fechadura, em 29/10/2020)

-*-

-*-


ORBE METAFÍSICO 

guardo em mim
jasmins
entumescidos
pelo frio inverno

espero o Sol da primavera
e sonho com uma borboleta azul
projetando uma sombra viperina
para destravar a fechadura
dos portais do não-tempo
onde impera
a consciência do vazio.

(* poema publicado na 'Revista Mallarmargens', em 07/03/2021)

-*-

(*) 8M: 8 de Março = Dia Internacional da Mulher: Projeto 'Homenagem a mulheres escritoras/artistas', iniciado em março/2021, por Nic Cardeal.


fotografia do arquivo pessoal da autora 


ISABEL F. FURINI nasceu em Buenos Aires/Argentina, e há muitos anos reside em Curitiba/PR. É poeta, escritora, palestrante e educadora. Escreve poemas desde criança. Foi uma das fundadoras do 'Centro Filosófico Delfos', em Medellin (Colômbia) e posteriormente em Curitiba/PR, tendo ministrado aulas nessa instituição até o início dos anos 2000. Foi colunista do Suplemento Dominical 'Viver Bem', no jornal 'Gazeta do Povo' (Curitiba/PR), com a coluna 'Vencendo limites' (de 12/1984 até final de 1999). Nos anos 90 ministrou vários cursos e palestras de 'Oratória Filosófica', em Curitiba/PR. De 1999 a 2015, ministrou a oficina de 'Criação Literária' na Associação Cultural Solar do Rosário (Curitiba/PR). Outros cursos, palestras e oficinas: 'Produção de Livros Infantis' em várias regionais da Fundação Cultural de Curitiba (oficina, Curitiba/PR, 2004); '1º Salão Nacional de Poesia' (palestrante, Campo Largo/PR, 2005); 'Filosofia com Crianças' (oficina, 2º Encontro Interestadual Pós-Bagozzi, Curitiba/PR, 2005); 'Como Escrever Livros' (palestrante, Centro Filosófico Delfos, Curitiba/PR, 2008); 'Como Escrever Contos' (oficina, Centro Filosófico Delfos, Curitiba/PR,  2009). Em 2008 iniciou o blog 'Literatura de Isabel Furini'. Em 2010 criou o 'Projeto Poetizar o Mundo',  para premiar talentos e organizar concursos literários. É coeditora da 'Revista Carlos Zemek de Arte e Cultura'. De 2014 a 2017 assinou a coluna 'Entre Livros e Autores', do jornal digital Paraná Imprensa. Em 2018 realizou um 'Recital Poético', com leitura de suas obras em espanhol e em inglês, na Biblioteca Pública de Burlingame (Califórnia, EUA). Atualmente ministra aulas particulares para interessados em escrever livros e realiza leitura crítica de originais. 

Recebeu diversos prêmios em concursos literários; foi nomeada 'Embaixadora da Palavra' pela Fundação Cesar Egido Serrano (Espanha); 'Embaixadora da Rima Jotabé' (Espanha); recebeu 'Comenda Ordem de Figueiró'; e foi nomeada 'Embaixadora Internacional e Imortal da Poesia pela Academia Virtual de Letras, Artes e Cultura do Brasil' (2015).

Possui inúmeros livros publicados com temas diversificados, tais como: xamanismo, esoterismo, filosofia e psicologia orientais, além de livros de poesia e infantojuvenis. Entre eles, destacam-se: O homem e Deus (poesia, Curitiba/PR, 1983);  Prego Nélio (infantil, Araucária Cultural, Curitiba/1988); Vença a timidez (Record, Rio de Janeiro/1991); Práticas de oratória (Ibrasa, São Paulo/1992); Liderança com sucesso (Ibrasa, São Paulo/1993); Otimismo em ação (Ibrasa, São Paulo/1995); Arte de falar em público (Ibrasa, São Paulo/1999); Joana, a coruja filósofa (infantil, Sophos, Florianópolis/2005); Coleção A corujinha e os filósofos (infantil, 6 volumes, Bolsa Nacional do Livro, Curitiba/2006); O livro do escritor (Instituto Memória, Curitiba/2009); Oratória forense (Instituto Memória, Curitiba/2011); Eu quero ser escritor – a crônica (Instituto Memória, Curitiba/2012); Os corvos de Van Gogh (poesia, Virtual Books/2012); Vírgulas e outros silêncios (poesia, Virtual Books/2012); O Grande poeta (infantil, Matrix, São Paulo/2012); A barca de Rá (poesia, e-book, disponibilizado gratuitamente na 'Revista Carlos Zemek de Arte e Cultura'); Flores e quimeras (poesia, e-book, disponibilizado gratuitamente na 'Revista Carlos Zemek de Arte e Cultura'); Os relógios de Dalí (poesia, livro artesanal, Curitiba/PR, 2017); Piringuindim, o gnomo brincalhão (infantil, no prelo).



Comentários

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

Dois poemas de Samanta Aquino | "A arte de ser mulher"

Nordeste Maravilhoso - Viva as Mulheres Rendeiras!

Uma Crônica sobre mulheres - por Rejane Souza

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

De vez em quando um conto - Os Casais - por Lia Sena

Vox Marielle, saudades, homenagem e um poema inédito para Marielle Franco - Chris Herrmann

UM TRECHO DO LIVRO "NEM TÃO SOZINHOS ASSIM...", DE ANGELA CARNEIRO | Projeto 8M

UniVerso de mulheres 03 Poesia Alemã e Indígena - Três poemas de Márcia Kambeba

A poesia forte e belíssima de Rosana Paulo - Quatro poemas