Postagens

A POESIA MÚLTIPLA DE ETEL FROTA | por Nic Cardeal

Imagem
fotografia do arquivo pessoal da autora   8M Mulheres não apenas em março.  Mulheres em janeiro, fevereiro, maio. Mulheres a rodo, sem rodeios nem receios. Mulheres quem somos, quem queremos. Mulheres que adoramos. Mulheres de luta, de luto, de foto, de fato. Mulheres reais, fantasias, eróticas, utópicas. Mulheres de verdade, identidade, realidade. Dias mulheres virão,  mulheres verão, pra crer, pra valer! (Nic Cardeal) Viaje na poesia múltipla e impressionante de ETEL FROTA : Ah, como eu queria que fossem meus os olhos que se alinham às estrelas no campo de girassóis Não importa Antes um poema requentado que poesia nenhuma (* poema do livro Artigo oitavo - poesia escrita, falada e cantada ) -*- capa do livro Artigo oitavo Não me confunda desse jeito com minha poesia com meu bordado Uma cria cruel e fria levo trancada no peito a cadeado (* poema do livro Artigo oitavo - poesia escrita, falada e cantada ) -*- poema de Diálogos lunáticos   LÍNGUA   Insano insensato insuficiente apêndice

A POESIA DA ILUSTRADORA MÁRCIA CARDEAL | por Nic Cardeal

Imagem
fotografia do arquivo pessoal da autora   8M Mulheres não apenas em março.  Mulheres em janeiro, fevereiro, maio. Mulheres a rodo, sem rodeios nem receios. Mulheres quem somos, quem queremos. Mulheres que adoramos. Mulheres de luta, de luto, de foto, de fato. Mulheres reais, fantasias, eróticas, utópicas. Mulheres de verdade, identidade, realidade. Dias mulheres virão,  mulheres verão, pra crer, pra valer! (Nic Cardeal) Mulheres ilustradoras também escrevem! Então, conheça a POESIA que se derrama por inteiro nas entrelinhas dos traços da artista plástica MÁRCIA CARDEAL : ilustração: Márcia Cardea l  Canhões na Palestina, incêndio em Londres, canção de amor contra a noite, assustadora noite deste tempo! Sim! Canhões na Palestina,  Camboja, Iraque, Arábia, África, África, fome no mundo inteiro o mundo inteiro em crise e eu ouço as cigarras no abacateiro. Me sinto só como nunca. (* poema escrito sem data, no 'caderno de anotar motivos n° 02') -*- ilustração: Márcia Cardeal   Passa

A POESIA SURPREENDENTE DE MICHELINY VERUNSCHK | por Nic Cardeal

Imagem
fotografia do arquivo pessoal da autora   8M Mulheres não apenas em março.  Mulheres em janeiro, fevereiro, maio. Mulheres a rodo, sem rodeios nem receios. Mulheres quem somos, quem queremos. Mulheres que adoramos. Mulheres de luta, de luto, de foto, de fato. Mulheres reais, fantasias, eróticas, utópicas. Mulheres de verdade, identidade, realidade. Dias mulheres virão,  mulheres verão, pra crer, pra valer! (Nic Cardeal) Hoje é dia da espetacular poesia de MICHELINY VERUNSCHK : DA ROTINA Varrer o dia de ontem que ainda resta pela sala, o dia que persiste, quase invisível pelo chão, nos objetos sobre os móveis da sala. Varrer amanhã o pó de hoje. Varrer, varrer hoje. (E domingo quebrar nos dentes o copo e sua água de vidro. Segunda, não esquecer: varrer todos os vestígios.) (* poema extraído de poesia.net - n. 186, 25/10/2006) -*- imagem do Pinterest   a palavra amor comporta todo esse desastre todo esse choro e desencontro todas as guerras pelo nome Helena ou Fatma ou Maria ou César ou

UniVerso de Mulheres 16 : A Performance "Avó do Mundo " de Rosi Waikhon, por Valeska Brinkmann e Rosi Waikhon

Imagem
UniVerso de Mulheres 16 : A Performance "Avó do Mundo " de Rosi Waikhon,  por Valeska Brinkmann e Rosi Waikhon  A Coluna Uni-Versos de Mulheres, cede a fala esse mês a Rosi Waikhon, que nos conta da performance "Avó do Mundo",  realizada em 12 de junho de 2022 Projeto  Avó do Mundo  por Rosi Waihkon Por décadas ouvimos que nossas terras eram lugares inabitados, geograficamente sem ocupações humanas. Nos bancos escolares, os livros didáticos também afirmavam isso, deixando nossas mentes um tanto confusas. Até que decidimos recorrer à memória de nossos antepassados, nossos Avós - como costumamos dizer, pois eram elas e eles quem nos narravam sobre a criação da humanidade e dos lugares, as Casas Ancestrais, onde vivem os seres que não enxergamos com os olhos (mas que sempre estão observando nossos passos). Então nos chega a seguinte questão: Como pensar na desconstrução dessas teorias reducionistas e discriminatórias construídas há décadas? Decidimos promover pequenas