Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2022

A PROSA E A POESIA DE IZILDA BICHARA | Projeto 8M

Imagem
fotografia do arquivo pessoal da autora  8M (*) Mulheres não apenas em março.  Mulheres em janeiro, fevereiro, maio. Mulheres a rodo, sem rodeios nem receios. Mulheres quem somos, quem queremos. Mulheres que adoramos. Mulheres de luta, de luto, de foto, de fato. Mulheres reais, fantasias, eróticas, utópicas. Mulheres de verdade, identidade, realidade. Dias mulheres virão,  mulheres verão, pra crer, pra valer! (Nic Cardeal) Mergulhe na palavra sempre surpreendente - em prosa ou verso - de IZILDA BICHARA : NOVELA   O passo na escuridão da esquina. A chave na porta de entrada. O corredor ocupado pelo vazio. E o jantar atrasado. É num instantinho que fica pronto. Vai tomando banho, enquanto eu ponho a mesa. Foi tudo bem na repartição? A cebola espirra no óleo quente. Ela corre a ajeitar a toalha. O prato no lugar de sempre, o copo d’água, o guardanapo. Enquanto coloca o arroz quentinho na travessa de vidro, ele se senta. Ela pergunta se ele quer tomar uma sopinha antes. Quer. Claro que que

A POESIA DE MANUELA LOPES DIPP | Projeto 8M

Imagem
fotografia do arquivo pessoal da autora   8M (*) Mulheres não apenas em março.  Mulheres em janeiro, fevereiro, maio. Mulheres a rodo, sem rodeios nem receios. Mulheres quem somos, quem queremos. Mulheres que adoramos. Mulheres de luta, de luto, de foto, de fato. Mulheres reais, fantasias, eróticas, utópicas. Mulheres de verdade, identidade, realidade. Dias mulheres virão,  mulheres verão, pra crer, pra valer! (Nic Cardeal) Hoje é dia de mergulhar na incrível poesia de  MANUELA LOPES DIPP (**): imagem do Pinterest PAH A palavra Pode derrubar um muro Pode ter a força de um soco no estômago  Pode transmutar como a poção de um Alquimista  A palavra  Pode destelhar a casa Pode esfacelar certezas Pode destruir cidades A palavra  Pode te deixar calado Pode te fazer de bobo Pode desvendar tua farsa A palavra  Pode tirar a razão  Pode roubar a calma  Pode desfazer a trama A palavra  Engatilhada Pode te tirar a vida. -*- fotografia do arquivo pessoal da autora  MANUELA LOPES DIPP  não   sou um

Para não dizer que não falei dos cravos 02 | "PEDRA", livro infantil de FILIPE MACEDO

Imagem
  Para não dizer que não falei dos cravos...(02) ... eu falo sobre o livro infantil  PEDRA de FILIPE MACEDO   A MENINA QUE SE CHAMA PEDRA E QUE CONVERSA COM PASSARINHOS PEDRA (Ciranda Cultural/2020) é um livro infantil escrito por FILIPE MACEDO e lindamente ilustrado por Luci Sacoleira. Nessa obra tão bela e rara, o escritor Filipe Macedo conta a história de uma menina muito diferente. Sabem por que ela é diferente? Só porque ela tem um nome que não é comum! Sim, isso mesmo, ela se chama Pedra! Pedra é uma menina que nasceu em uma cidade chamada Mar Vermelho. Quando ela nasceu, seu pai a achou tão linda, mas tão linda, que deve ter pensado: '- puxa vida, minha filhinha é tão linda que parece uma pedra preciosa!' Por isso mesmo resolveu batizá-la de Pedra, 'a mais bonita e preciosa de todo o mundo' , pensou o pai, todo encantado! A mãe acabou concordando com o nome da filhinha e, então, estava resolvido! Enquanto era pequenina, Pedra era feliz da vida, brincava pe

UM CONTO DE MARIA AMÉLIA ELÓI | Projeto 8M

Imagem
  fotografia do arquivo pessoal da autora   8M (*) Mulheres não apenas em março.  Mulheres em janeiro, fevereiro, maio. Mulheres a rodo, sem rodeios nem receios. Mulheres quem somos, quem queremos. Mulheres que adoramos. Mulheres de luta, de luto, de foto, de fato. Mulheres reais, fantasias, eróticas, utópicas. Mulheres de verdade, identidade, realidade. Dias mulheres virão,  mulheres verão, pra crer, pra valer! (Nic Cardeal) Hoje, homenageamos a escritora MARIA AMÉLIA ELÓI , com seu conto inédito: ORGULHO Desta feita aflorou a necessidade. A mulher sentiu uma precisão genuína de romper. A angústia formigava sem parar, qual espinho de pequi engolido arranhando o céu do peito. Ela não tinha com quem dividir. Pensou em dizer ao padre, de joelhos no confessionário, mas não conseguiu. A reza não fluía nem quando ela se deitava à noite, sozinha com a imagem da Virgem Desatadora à cabeceira da cama. Quem sabe se escrevesse? Mãe do Céu, me ajude. Desculpe a chateação, mas sou devota e crei