SOBRE AS OBRAS DA ESCRITORA, JORNALISTA E EDITORA SIMONE PAULINO | Projeto 8M

fotografia do arquivo pessoal da autora 

8M (*)

Mulheres não apenas em março.
Mulheres em janeiro, fevereiro, maio.
Mulheres a rodo, sem rodeios nem receios.
Mulheres quem somos, quem queremos.
Mulheres que adoramos.
Mulheres de luta, de luto, de foto, de fato.
Mulheres reais, fantasias, eróticas, utópicas.
Mulheres de verdade, identidade, realidade.
Dias mulheres virão,
mulheres verão,
pra crer, pra valer!
(Nic Cardeal)

Hoje é dia de homenagear a incrível SIMONE PAULINO, porque ela é múltipla na palavra - como jornalista e escritora; porque ela é plural ao espalhar a palavra - como fundadora da "Editora Nós" e, agora, sócia-fundadora da "Nossa Éditions"!

A escritora Simone:

(*)

"Como Clarice Lispector pode mudar sua vida"

"Quando passei a ler apenas com a emoção, Clarice entrou e se instalou de forma definitiva na minha vida. Até se tornar quase tão indispensável para mim quanto meu pão de cada dia. Aos poucos, ela se transformou num apoio indispensável para os meus momentos de dor. Uma espécie de oráculo para as minhas dúvidas existenciais. Sempre a palavra justa a conferir sentido ao que me acontecia. Mesmo que a palavra justa estivesse às vezes encoberta no meio de uma escrita muito mais vertiginosa do que meu pensamento era capaz de alcançar."

(* Simone Paulino, sobre o livro 'Como Clarice Lispector pode mudar sua vida', texto extraído do site da amazon.com.br)


capa do livro Como Clarice Lispector pode mudar sua vida 

(**)

"Abraços Negados - Em retratos" 

"De um lado, uma mulher viaja num trem rumo a Paris, onde vai dar uma conferência na Sorbonne, e se recorda da menina que a gerou. Do outro, uma menina parte de seu presente para encontrar a mulher que ela se tornou. As duas histórias deste livro comovente de Simone Paulino, vão se cruzar pelas mãos do leitor que, não sem surpresa, descobrirá o que une ambas, a mulher-menina de “Em retratos” e a menina-mulher de “Abraços negados”. Na primeira narrativa, temos um álbum que represa, em suas “fotos”, instantes de luz e sombra de uma vida, plasmado na arquitetura dos vitrais (que só existe pela junção dos cacos). Se “o menino é o pai do homem”, como disse Machado de Assis, aqui a menina (lembrada) é a mãe da mulher (que lembra). Mas não basta aquela gerar essa – como afirmou outra Simone (a de Beauvoir), é preciso se fazer mulher (o que é sempre prova de resistência). Na segunda história, as reminiscências saem do 3×4 e assumem a visada da mulher já no mundo adulto, em fragmentos maiores, que registram ausências tão dolorosas quanto as presenças, pois essas, embora amadas, são testemunhas dos afagos suspensos. O chão, as cores e as perdas na infância ganham beleza pelo líquido revelador (a escrita afetiva) de Simone Paulino. Ao fim, o leitor compreenderá por que na confluência da latitude (uma história) com a longitude (a outra história), irrompe uma margarida supra-literária – irmã daquela que brotou, entre as gretas do asfalto, nos versos drummondianos de “A flor e a náusea”."

(* sinopse do livro 'Abraços negados - em retratos', extraída do site da Livraria da Travessa: m.travessa.com.br)

capa do livro Abraços negados em retratos 

(***)

"O sonho secreto de Alice"

"O sonho secreto da protagonista deste livro, que a autora Simone Paulino revela, é o sonho coletivo de muitas mulheres brasileiras, a quem foi negado o acesso à educação formal, à leitura, à informação, à profissionalização. Se milhares de 'Alices' tivessem aprendido a ler e escrever, teríamos no Brasil muitas 'Clarices', e 'Cecílias', 'Adélias', 'Hildas', 'Pagus', 'Nélidas', 'Elisas', 'Lygias'... Seríamos, mais do que um país das maravilhas, um país com mais justiça e maior autonomia, na medida em que as 'Alices' pudessem escrever suas e outras histórias, assinando seu próprio nome e afirmando a sua identidade."

(* sinopse do livro 'O sonho secreto de Alice', extraída do site da amazon.com.br)

capa do livro O sonho secreto de Alice 

A editora Simone:

(*) 

Sobre a 'Editora Nós'

"Nós

Uma editora plural!

Criação da jornalista e escritora Simone Paulino, a Nós é uma jovem editora brasileira conhecida por seus projetos literários inovadores, nos quais se destacam a qualidade editorial e gráfica, e principalmente a missão de interferir na formação cultural dos leitores e na sociedade à qual pertencemos, por meio da articulação transparente, democrática e inclusiva de parceiros que também compartilham deste ideal.

O nosso princípio básico é o de que um livro, como quase tudo de bom que se faz na vida, é uma construção coletiva, fruto do encontro de várias subjetividades, e não apenas uma expressão egocêntrica. Livro é cultura! E cultura não se faz sozinho. Somos plurais, democráticos, inclusivos, afetivos. Princípio este que se reflete também na concepção da marca – uma palavra única, de três letras, mas indivisível, com um centro aberto no qual as pessoas e as ideias poderão entrar.

Nascemos com a proposta de lançar luzes à produção literária brasileira e estrangeira, uma vez que acreditamos ser a literatura um direito humano, como bem apontou Antonio Candido, sem que para isso existam fronteiras. Dar voz à literatura brasileira em países do mundo inteiro e trazer obras relevantes para que o Brasil conheça é o nosso objetivo e, em busca desse intercâmbio cultural e intercontinental, iniciamos a nossa jornada com a travessia atlântica, marcando presença em países da Europa como Portugal, França e Itália."

(* texto extraído do site da Editora Nós: editoranos.com.br)


(**)

Sobre a 'Nossa Éditions'

1)

"(...)

a Marcia Tiburi, a Gabriela Castro 
e eu somos as sócias-fundadoras da Nossa Éditions!
uma ideia que começou a ser gestada em 2019 
ficou germinando como uma flor de estufa de 2020 a 2021
e que agora em 2022 está pronta, com sede, marca, livro em gráfica
e terá sua estreia e primeiro lançamento no dia 7 de setembro, em Paris!

outra maneira de dizer é: 
a Nossa é a concretização de uma ideia de mundo. um lugar de encontro do pensamento e do fazer feminino que não se deixam oprimir ou limitar, nem mesmo pela atrasada concepção de fronteiras ou de barreiras linguísticas. 

ou ainda:

Nossa” est la réalisation d’une idée du monde. un lieu de reencontre de la pensée et de l’action des femmes qui ne se laissent opprimer ou limiter, pas même par la conception dépassée des fronteires ou des barrières linguistiques.”

Acompanhem nossa “Maison d’Édition”!
É toda nossa!"

(* Simone Paulino, em sua TL, 13/08/2022)


2) 

"Da junção de três mulheres brasileiras em campos diferentes do mercado editorial, uma escritora, uma editora e uma designer, surge uma nova editora, a Nossa Éditions

Uma ideia original e ousada, a Nossa Éditions é uma editora francesa focada na publicação de livros escritos por mulheres latino-americanas e francesas para o público francês e amantes da língua espalhados pelo mundo. 

(...)"

(* texto extraído do site www.leitorbeta.com.br, podcast 233, 05.09.2022)
 

[Nossa Éditions]

-*-

(*) 8M: 8 de Março = Dia Internacional da Mulher: Projeto 'Homenagem a mulheres escritoras/artistas', iniciado em março/2021, por Nic Cardeal.

fotografia do arquivo pessoal da autora 

SIMONE PAULINO é escritora, jornalista e editora. É graduada em Jornalismo (Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero), e Mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP). Faz parte do Núcleo de Pesquisa em Literatura e Psicanálise da USP. Em 2015 fundou a Editora NÓS, uma maravilhosa editora que tem publicado obras-primas, inclusive livros de Virginia Woolf, Scholastique Mukasonga, entre outras preciosidades nacionais e internacionais! E, neste setembro/22 acaba de fundar, junto com as sócias Marcia Tiburi (filósofa, artista plástica e escritora) e Gabriela Castro (designer e sócia-fundadora do Bloco Gráfico), a NOSSA Éditions, com sede em Paris.

Livros da autora Simone Paulino: Abraços negados (contos, Casa do Psicólogo/2005); O sonho secreto de Alice (infantil, Editora DSOP/2013); Como Clarice Lispector pode mudar sua vida (Buzz/2017); Abraços negados - Em retratos (contos, Nós/2019).

Participação em antologias: Grafias urbanas - antologia de contos contemporâneos (contos, org. Adilson Miguel, Scipione/2010); Histórias Femininas (contos, Scipione/2011); Olhar Paris (contos, org. Leonardo Tonus, Nós); Escrever Berlim (contos, org. Leonardo Tonus, Nós); entre outros.

Alguns dos tantos autores publicados pela publisher Simone Paulino - Editora Nós: Virginia Woolf ('Um esboço do passado'; Pensamentos de paz durante um ataque aéreo'; 'Sobre estar doente'; 'A morte da mariposa'; 'Diário I, 1915-1918'); Scholastique Mukasonga ('Um belo diploma'; 'Baratas'; 'Nossa Senhora do Nilo'; 'A mulher de pés descalços'); David Diop ('Irmão de alma'); Edmondo De Amicis ('A tentação da bicicleta'); Marcia Tiburi ('Quatro passos sobre o vazio'; 'Um fascista no divã' - com Rubens Casara); Ana Soulanti ('Costuras para fora'); Aline Bei ('O peso do pássaro morto'); Igiaba Scego ('Minha casa é onde estou'; 'Adua'); Ana Lasevicius ('Pouco é muito'); Edimilson de Almeida ('Front'); Pauline Delabroy-Allard ('Sarah é isso'); Abdellah Taïa ('Um país para morrer'; 'Aquele que é digno de ser amado'); entre muitos e muitos outros.

Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

Nordeste Maravilhoso - Viva as Mulheres Rendeiras!

De vez em quando um conto - Os Casais - por Lia Sena

Resenha 'afetiva' do livro O VOO DA GUARÁ VERMELHA, de Maria Valéria Rezende

UM TRECHO DO LIVRO "NEM TÃO SOZINHOS ASSIM...", DE ANGELA CARNEIRO | Projeto 8M

UM CONTO DE MARIA AMÉLIA ELÓI | Projeto 8M

Cinco poemas de Catita | "Minha árvore é baobá rainha da savana"

Nada mais vai ao caixão | Marilia Kubota

A POESIA DA ILUSTRADORA E DESIGNER BIA CARDEAL | Projeto 8M

Resenha do livro juvenil TÃO LONGE... TÃO PERTO, de Silvana de Menezes