Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2020

Volupz - Trio de cantoras lança primeiro single e videoclipe

Imagem
Canção contagia com batida pop e letra sobre a importância da liberdade para as mulheres e do amor próprio. Videoclipe celebra a diversidade e conta ainda com participações de nomes como IZA, Tiago Abravanel e Evelyn Castro.
Volupz - primeiro single e videoclipe de “Se Sinta Bem”
Maio de 2020 – “Não é você quem diminui minha vontade de crescer, nem tampouco opiniões me dizendo o que fazer”. É assim que as cariocas Letz, Suzan e Rikki, as Volupz, dão início a “Se Sinta Bem”, single de lançamento do trio, disponível nas principais plataformas. Os temas da liberdade feminina e do amor próprio permeiam toda a canção, cheia de batidas pop, e que tem tudo para virar um hino. O videoclipe da faixa, lançado simultaneamente, foi gravado no início da pandemia da COVID-19 e conta com participações mais que especiais de nomes como IZA, Tiago Abravanel e Evelyn Castro. Composta por Caio G, Suzan e Letz, “Se Sinta Bem” é a expressão perfeita das Volupz, a essência e um resumo do que elas são e desejam…

Preciosidades Antológicas 02 - três autoras

Imagem
Preciosidades Antológicas - três autoras
Adri Aleixo, Adriane Garcia e Ana Elisa Ribeiro
por Chris Herrmann

Na coluna de hoje, destacamos o poema de três autoras mineiras da nossa I Antologia Digital de Poesia Porque Somos Mulheres. Foram 149 poetas selecionadas e/ou convidadas das 208 inscritas, que nos orgulharam muito pela qualidade e diversidade das obras. Desejamos a vocês boas leituras!


clique na imagem para ler o e-book gratuito

A eclética Poesia bilingue de Kori Bolívia, em cinco poemas

Imagem
Paul Klee
En la sonrisa del más allá
Este niño ya nació huérfano, ni siquieras los ojos de su madre lo pudieron ver. Este niño nació a la fuerza, en silencio lo retiraron a la luz de la vida, entre lámparas, tropezando con la ausencia. Vivirá buscando su sombra en la sonrisa del más allá...
René Magritte
Sou
Sou a floresta e cada folha caída, cada folha verde ao vento, pendurada. Sou o rio e cada remanso tranquilo, cada passo da corrente que leva sonhos de espuma. Sou a terra e cada planta, cada flor que busca o delírio da luz. Sou o beijo que te dou e o pássaro que leva em cada asa

Giovana Damaceno - Alguém pra segurar a minha mão

Imagem
"Alguém pra segurar a minha mão" é um livro-reportagem que mostra o trabalho de uma equipe de atenção domiciliar, que presta cuidados paliativos a doentes em fase terminal. Um aprendizado sobre a natureza da morte."

Alguém pra segurar a minha mão

“Se morrer é um evento natural da vida, não podemos tirar das pessoas o direito de morrer em paz”. Essa foi uma das inúmeras frases marcantes que a jornalista Giovana Damaceno ouviu em horas de entrevistas e em visitas domiciliares, acompanhando o médico José Antônio Pereira Fernandes, do Serviço de Atenção Domiciliar de Volta Redonda/RJ. Tudo o que a jornalista apurou está no livro “Alguém pra segurar a minha mão”, que a Editora Penalux colocou em pré-venda esta semana. Trata-se de um livro-reportagem, cujo projeto nasceu da compreensão de que pacientes terminais têm direito a morrer dignamente. Amiga pessoal do médico José, a jornalista conheceu o trabalho do SAD, que assiste esses pacientes em casa, até que encerrem seu ciclo…