Você me dá a palavra-tema e eu lhe dou um poema, por Chris Herrmann

| improvisos & arquivos - 05 |


Você me dá a palavra-tema e eu lhe dou um poema
por Chris Herrmann

Esta é a quinta edição do nosso projeto de improvisos que se transformou em coluna. Improvisos & Arquivos terá sempre alguma variação de abordagem, mas manterá a ideia de improvisação, seja minha por sugestão de amigos ou vice e versa. A publicação de hoje contém 27 poemas de minha autoria, a partir de 27 sugestões dos amigos. 

꧁☬꧂
Agora, aos improvisos! As sugestões de palavras-tema que os amigos me deram e os resultados:



1. Celso José Ferreira de Oliveira sugeriu ESCRÚPULO:

Ele não tem
~CH~

ele não tem escrúpulo
ele não tem caráter
ele não tem respeito 
ele não tem pudor
ele não tem empatia
ele não tem amor
ele não tem poesia
ele não tem palavra
ele não tem oração 
ele não tem
ele não



2. Thaís Manfrini sugeriu SERENIDADE:

Serenidade
~CH~

você encontrará
a serenidade
nas águas mansas
e sem ondas

você verá peixes
de todas as cores
pulando, bailando
como se brincassem
nas águas rasas

você tocará a areia
com seus olhos
de espelho d’água

como se nada
o impedisse de ser
essa felicidade
intermitente

como se nadar adiantasse
ante a chegada iminente
(que você não pôde ver)
de um Tsunami



3. Cissa de Oliveira sugeriu MOSAICO:

Mosaico
~CH~

você foi o último
a recortar meu peito
em pedaços

e a fechar a porta
que não lhe dará
mais direito
de entrada

o meu corpo hoje
está fechado pra balanço
pra balada de navalha

com janelas nos olhos
âmago em retalhos
e meu teto de ferro
agora meu mosaico
está completo



4. Ingrid Morandian sugeriu SILÊNCIO:

Silêncios
~CH~

Há silêncios e silêncios. Há mensagens embutidas. Enrustidas também. Alguns se parecem com escavadeiras. Uns guardam gritos. Outros dor. Uns têm rancor. Solidão. Outros saudade. Solitude. Há sinais nesse tal de silêncio? Muitos até dialogam. Alguns têm medo. Dizem que se acovardam. Vai ver nadam no nada de si. Vai saber... não sabemos. Mas sabemos silenciar o mar revolto e sereno de nós. O livro dos mistérios que jamais aprenderemos a decifrar no outro completamente. Às vezes, nem o nosso próprio. Há entrelinhas na página em branco. O silêncio ama. O silêncio abraça. O silêncio mata. Silêncio!



5. Graziela D. Reis sugeriu VIDA:

Vida
~CH~

A primavera é atrevida.
Se atreve a ser vida
frente aos canhões
ameaçando pétalas
para calar a poesia.



6. Angélica Cruzeiro sugeriu RESILIÊNCIA:

Resiliência
~CH~

não sei se possuo
essa tal virtuosa
tão bem falada
tão nobre resiliência

será sinal de inteligência 
ou experiência?

tenho ocasiões de ímpeto
outras de calma aparente
alguns bate-papos comigo
momentos que a outra de mim
me bate na cara e me diz:
__ tome tenência, Chris!



7. Eloisa Maria Zeitlin sugeriu INSÔNIA:

Insomnia
~CH~

deito meu corpo no nada
de nada adianta este leito
pois se tento despertar do sonho
acordo o pesadelo no meu peito



8. Cassiana Lima Cardoso sugeriu CURA:

(haicai)
~CH~

e se aproximou
a me embevecer de nós
: low cura só nossa



9. Elizabeth Fukuda sugeriu INTENSIDADE:

Intensidade
~CH~

amou com tanta intensidade
com tanta doação de si
para o impróprio

que abandonou sua identidade
e largou o amor-próprio por aí
chorando de solidão



10. Vanessa Farias sugeriu RIO:

Semitons de Cinza
~CH~

quando eu morrer
te peço

não chore
as minhas cinzas

deixe esse trabalho
pro mar

se num canto qualquer
do oceano

a vida estiver de onda
eu rio



11. MDorea sugeriu PERDÃO:

A lua de Duisburgo
~CH~

poderia ser igual 
a de Magdeburgo
de Berlim, de Dresden
e de todos os cantos
por onde estive
por onde sonhei ou não 
mas não é bem assim

a lua de Duisburgo
que me inspirou poemas
risos, prantos, espantos
a que me recebe de volta
de céu aberto, tão perto
sem perdão da palavra
fala mais sobre mim



12. Nanete Neves sugeriu SUMO:

Sumo
~CH~

se não for
pra somar
se não for
o suprassumo
eu assumo
ou você some
ou eu sumo



13. Tirzá Prodes Rangel sugeriu DIFERENTE:

Que moda!
~CH~

ele chegou se achando diferente
com aquele ar indiferente
com um corte de cabelo da moda
óculos escuros da moda
camisa da moda
calça jeans da moda
tênis da moda

e quando abriu a boca
em poucos minutos percebi
sua ignorância política cafona
que agora com imensa distância
já não me incomoda

(minha paciência não é sanfona)



14. Vera Ione Molina Silva sugeriu REENCONTRO:

Tecidos
~CH~

um reencontro
no bar

no ar
as conversas
de seda

na boca
os sorrisos
de algodão
doce

à mesa
dois corpos
sedados
de pele

em algum lugar
os lençóis
de sede



15. Andrea Lucia Guarçoni sugeriu DELÍRIO:

Camarote
~CH~

cercou-se
de palavras
para que o
pensamento
as pulassem

sonhos
desvocabulados
aguardavam
do alto da
arquibancada

talvez fosse
aquele touro
o seu tesouro
o toureiro
ou seu delírio
de plateia
desvairada


16. Saulo Vieites sugeriu ILUSÃO:

ILUSÃO
~CH~

o dia
é uma ilusão
que anoitece



17. Helena da Rosa sugeriu DONO:

Restinga de amor
~CH~

somos os novos
dinossauros
na face da terra
uns corvos sem
asas

cérebros e fomes
maiores que suas
mãos e almas
sem planos
nem planícies

como se donos
de tudo de todos
fôssemos
neste fundo
do poço

só já somos
e fósseis seríamos
todos ao passo
na pocilga
do poço
(sem fundo)

nos morros e matos
por onde deixamos
a vida esquecida

se não fosse
por uma (ainda)
restinga de amor

nas costeiras
de umas poucas
alma(re)s triássicas

por onde voam
borboletas perdidas
e um corpo celeste
do pouco da gente
que ainda alvorece



18. Carmem Teresa Elias sugeriu REBELDIA:

Rebeldia
~CH~

toda rebeldia de um povo
será combatida
por forças ignorantes
ou inteligentes
egoístas
ou benevolentes

mas se antes disso
você quiser saber
se há razão na rebeldia
preste bem atenção
não só na rebeldia
mas também
no outro lado

onde há mais preocupação
se com o bem-estar geral
de toda a nação
ou com a autarquia
e usura de um usurpador 
fã de torturador
e de ditadura



19. Edvânia Braz Teixeira Rodrigues sugeriu INTERPRETAÇÃO:

Com texto
~CH~

- ele é um cão sem dono
- ele quem? por quê?

nesse mundo cão
ande com leituras
seja dono de perguntas

você entenderá melhor
o contexto
não aceitará pretextos
de uma malfadada
interpretação



20. Lin Quintino sugeriu PASSADO:

Passado
~CH~

não foram
as profundezas
do oceano
que me afogaram

foram as calhas
do telhado
em dias
que acreditei
que as chuvas
haviam passado



21. Maria Elizabeth Candio sugeriu SAUDADE:

Instação
~CH~

veja bem,
em algum lugar
entre o outono
e a primavera

há uma saudade
invernal de final
de estação

que somente
estes meus olhos
cansados sem ti
viverão



22. Beth Accioly Silva sugeriu HORIZONTE:

Horizonte
~CH~

a imensidão
de um abraço
cabe no silêncio
do horizonte

e sejamos francos
-dependendo
de quem oferece-
não sobra espaço



23. Isabela Penov sugeriu AURORA:

Vestígios de Aurora
~CH~

Aurora
foi se embora
sem deixar aviso
sem marcar viagem
sem fazer as malas
sem dormir fora

Aurora
de rosto sulcado
de corpo curvado
de pés cansados
agora teria deixado
pegadas na areia
e ondas na praia

Aurora
por hora, não existia
pena que não se ouvia
o ranger das portas
e as velhas chinelas
a repousar marcas
dos seus pássaros
por toda a casa
vazia



24. Ilda Manini sugeriu CAMINHAR:

Pianíssimo
~CH~

caminhar
entre pedras e cacos
me ensurdecem
os ruídos

monstros pontiagudos
me pisam a pauta
dos pés

pulo esta clave
caio na via do silêncio
no ar da noite de sol

onde anjos me tocam
a melodia dos afetos

desafinam gravidades
que me cabem flutuar



25. Mara Magana sugeriu PÉTREA:

Monstro de Pedra
~CH~

nem o homem
da idade da pedra
seria tão desumano
quanto o monstro
que destrói um povo
humilha seus iguais
por se achar melhor
divide a nação
destrói e rouba bens
espalha o terror
incendeia matas
mata velhos, pobres
negros e indígenas
não valoriza nossos jardins
nossas mulheres, gays
e ainda pisa nelas
nas nossas e todas
as peles as pétalas
com sua alma pétrea



26. Gisella Rocha Rezende sugeriu MARIDO:

Afortunada
~CH~

acertei sozinha
na quina da cama

por pouco
não fiz uma cena

enquanto isso
o meu marido ria
na esportiva

fui pro hospital
e ganhei treze
pontos!

por sorte
acordei



27. Luh Casaes sugeriu TRISTEZA:

(haicai)
~CH~

noite sem estrelas
: arco-íris se esconde
da maré tristeza

Comentários

  1. Você se supera todos os dias, na lindeza de sua arte escrita. Grata Chris, por existir e ser quem és

    ResponderExcluir
  2. Ficou perfeito o hai cai Chris!
    Você é responsável pela admiração cada vez maior que sinto pela poesia.

    ResponderExcluir
  3. Ficou perfeito o hai cai Chris.
    Você é responsável pela admiração cada vez maior que sinto pela poesia.

    ResponderExcluir
  4. Ficou perfeito o hai cai Chris.
    Você é responsável pela admiração cada vez maior que sinto pela poesia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Machismo estrutural | Quando a imprensa também exclui as mulheres

Uma resenha de Marta Cocco | "Uma Diva na passarela estreita do Jabuti"

Um poema de Mar Becker | "à parte do reino"

Uma série pictórica de Neide Silva | Flores do Cerrado

Cinco poemas de Tatiane Silva Santos | "No sonho"

Yedda Maria Teixeira | o prêmio da arte de amar

De Prosa & Arte| Nosso Corpo não é Bagunça!

IX Tertúlia Virtual | Vozes e Olhares de uma Poética do Feminino

Um conto de Ciça Ribeiro | "O doce bombom"

A poética que roça os sentidos | Banquete poético