Nota de Repúdio no Dia da Liberdade de Imprensa - Chris Herrmann



Nota de Repúdio
No Dia da Liberdade de Imprensa

A Liberdade de Imprensa é vital para o fortalecimento da democracia em qualquer país sério do mundo. Sem essa liberdade, o caminho fica aberto para o autoritarismo e a ditadura. Quem conhece história sabe muito bem o quanto se lutou no Brasil e em outros países para que se chegasse ao ponto onde não houvesse mais opressão e desinformação. Infelizmente, o nosso país está caminhando para trás.

É muito triste constatar que exatamente no dia que se deveria comemorar a liberdade de imprensa, nos chegam as notícias mais absurdas de agressões. Dois jornalistas (repórteres fotográficos) foram agredidos em Brasília. Sabemos que não é a primeira vez que jornalistas são tratados de forma brutal - até mesmo perseguidos e ameaçados de morte - e nem será a última, enquanto no Brasil não tivermos o apoio do governo. E pior, quando o próprio governo dá o mau exemplo, agride jornalistas e incita os cidadãos brasileiros a fazer o mesmo. Já que o governo não se importa, deixamos neste espaço nossa nota de profundo repúdio a tais atitudes antidemocráticas, brutais e desrespeitosas. É preciso que a Justiça se manifeste contra tais ações que já se tornaram rotina em nosso país. 

Gostaria de deixar claro que nós, da Revista Ser MulherArte, nos solidarizamos com os colegas jornalistas e sentimo-nos igualmente ofendidas e agredidas.


Chris Herrmann
Editora

Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Um conto de Maria Amélia Elói | "Fécula"

Cinco poemas de Claudia Miranda Franco | "Moenda"

Sete poemas de Rozana Gastaldi Cominal | "Aos protagonistas da cultura viva"

Coluna 01 - In-Confidências - Apresentação, por Adriana Mayrinck

PONTE-AR: literatura preta em dia(logo) | Na moda - Catita

Preta em Traje Branco | Reminiscências - uma resenha poética de Mada Scavassa

A poesia tocante de Wanda Monteiro

Preta em Traje Branco | Ana Paula de Oya em Tríade de Versos

Divina Leitura | Retrospectiva de 2020

Para colocar poesia no seu fim de ano | Crônica de Adriana Aneli