Postagens

Mostrando postagens com o rótulo coluna

PALETAS DA ALMA/ POESIA: APRESENTE-SE A SI MESMO POR GABRIELA LOPES

Imagem
Coluna 01 Paletas da Alma - Estreia Quero primeiramente agradecer o convite da querida Chris Herrmann  em poder fazer parte desse lindo espaço da Revista internacional Ser MulherArte. Fico muito honrada e feliz.  Minha primeira coluna será um poema da minha autoria. Seguirei nesse espaço contribuindo  com as paletas da alma.  Às vezes as cores dela são vívidas, às vezes são misturas diversas ou apresentam turvação e, de um modo geral, são parte das acontecências em estar vivo. Apresente-se a si mesmo É diferente sim. Sempre foi... Desde anos remotos... Na volta do trabalho fazia poesias no ônibus, O rascunho do celular era pergaminho, as curvas do caminho faziam jorrar letras. É diferente sim. Como quando criança escrevendo doces linhas do que pensava saber da vida. Mesmo não sabendo absolutamente nada, acreditar que possuía entendimentos, fazia brotar rimas e confiança. É diferente sim, quando choro pelo amor amado pelo abraço bem dado, pela alegria do b

XI Tertúlia Virtual: Poesia e Empoderamento Feminino

Imagem
  TERTÚLIAS VIRTUAIS |  05 - por Marta Cortez ão Após uma longa pausa, por aqui, por esta despretensiosa coluna Tertúlias Virtuais , retomo minhas andanças poéticas pela literatura contemporânea de mulheres, poetas, escritoras que me concederam, gentilmente, o prazer do abraço poético, ao participarem do projeto Tertúlias Virtuais , o qual já vem construindo história nas redes sociais desde 23 de agosto de 2020. A XI Tertúlia Virtual:Poesia e Empoderamento Feminino , encontro poético sobre o qual me debruço hoje, aconteceu no dia 06 de novembro de 2020, na companhia das poetas convidadas Francis Mary (Acre), Lucirene Façanha (Ceará), Mary Paes (Amapá) e Felicidade Guerreiro (Portugal). As tertúlias virtuais têm propiciado este espaço de interação, de construção de relações sociais, afetivas e poéticas e de fortalecimento do coletivo literário feminino, porque conecta vozes e olhares do feminino neste espaço virtual que se configurou como espaço de aprendizagem, numa abordagem dialéti

Coluna 06 | Mulherio das Letras na Lua - SANDRA RAMOS (Portugal)

Imagem
                                                                                                                                                          coluna 06 Divulgando autoras Lusófonas, um poema de Sandra Ramos Amar pela metade Amo por inteiro na corda bamba da Vida, não procuro corações seguros de si, agradam-me os defeitos intrínsecos, não almejo ser a primeira, aspiro somente... ser única. Carrego um passado tatuado na alma, choro no rasgo do meu sorriso, sigo e não sinto vontade em ficar, sou apenas um caso inexplicável, uma mistura explosiva de erros que me fizeram cair. Quero tudo, sim....não o faço pela metade; arrisco no meu ímpeto mais sagrado, vivo intensamente até onde seja capaz. Acredito e não desisto, amo e mergulho na ousadia louca; deixo-me possuir e embarco -sem medos-no veleiro imprudente. Amar pela metade..., alguém que me ensine..., alguém que me explique como fazer...! Sentimento imaculado prudente, isento de risco e... tão, mas tão insípido...! Amo sim...p

Nietzsche conto! 02 | Eu conto ou você conta? por Chris Herrmann

Imagem
| coluna 02 | EU CONTO OU VOCÊ CONTA? por Chris Herrmann Allan Põe palavras: “ainda tô contando os corvos.“ Simone de Bom Ar: “o conto é misógino... por que não uma conta?“ Boka Lokowski: “só conto comigo e o meu cigarro“ Manoel João de Barros: “um passarinho me contou“ Freude-se: “já lhes contei que a culpa é da mãe“ Bispo Mais Sebo: “estou escrevendo o conto do vigário“ Fernando Mil Pessoas: “eu conto com os outros que há em mim“ Drums Mond: “antes eu contava as pedras enquanto caminhava. agora são elas que me contam, enquanto me diluo nesse caminho infinito de poeira cósmica“ Rubizão: “amanhã eu conto“ Garotão: “só conto pro meu advogado e pra mamãe“ Neverson Rodrigues: “eu conto e canto outras“ Delator premiado: “eu conto tudo que você quiser que eu conte“ Trumpeiro: “eu só conto com a minha superioridade!“ Ih, Manuel: “não kant comigo!“ Temeroso: “conto com a minha aposentadoria“ Morro: “e eu com a minha, Temeroso. Só não conte a ninguém os meus planos pra 2022” Maluca Mulher: “já