Para não dizer que não falei dos cravos | Cinco poemas de Pedro Vale

 

Coluna 24

Cinco poemas de Pedro Vale

do livro Azul instântaneo


Porto

A poesia vai

Pela rua,

Nua.

Esconde-se

Nas manhãs mais

Frias.

E é à noite que lhe foge

A voz.

Lenta

E lenta,

Lentamente,

Até

Desembainhar

Na

F

O

Z


*

 

Luz(a) alma

Sossega e vive do ar

A cómoda alma, armário espacial.

Plana e cisma a esmola pintada

Na rua nua e perfumada.

Sonha a universal fundação,

À beira-rio, navio-fantasma e fruição.

Entoa, na guitarra infantil, dramática gente,

Num acorde simples, medieval.

- Ó alma lusa,

Acorda e sente,

Mesmo que à tangente,

O que é ser filha de Portugal.


Imagem de Christian Dorn por Pixabay.

Hoje acordei com uma andorinha no estômago.

A noite era de tempo limpo e sono.

Sabia a quebra milenar, cabelo solto.

Nenhuma angústia, lei, mato ou víscera defronte.

O prédio seguia o seu curso normal de vida, espécie de abrigo impune.

Gineceu.

Observava sem capacidade estrelada o céu, quando a miúda astronomia me

Espantou a inocência.

A circular impressão se revelara.

Tal como no meu estômago, assim uma via-andorinha, se alongava, qual

fita emprestada, distraidamente, no ar.


*

 

No

Silêncio

De ouro da

Ponta do pargo,

Por um fio não

Desci para a

Gruta ida

De t

I

.

.

.

.

.


*

 

Cisma

Em mim um

Conceito,

Quase uma

Ordem estabelecida.

- o desejo.

Quanto

Menos o

 

Pratico,

Mais

se manifesta e me

surpreende por

excitante e novo.

 

Glicínias.


Imagem de Christian Dorn por Pixabay.




Azul Instantâneo, de Pedro Vale, é uma obra que resulta de um exercício de escrita espontânea empreendido durante um ano e meio. Poesia lírica, visual e concreta, filosofia, observação e experimentalismo perfazem uma obra de arte portátil que apela diretamente aos sentidos dos leitores e procura explorar os limites da linguagem.




Pedro Vale é um escritor português que habita na Madeira, natural de Moreira de Cónegos, Guimarães. Professor de Português e Inglês, encontra-se a leccionar no primeiro ciclo desde 2002, tirando o curso de Ciências da Cultura, encontrando-se de momento a frequentar o mestrado em Gestão Cultural na Universidade da Madeira.




Comentários

  1. Muito obrigado Divanize pela oportunidade. Abraços poéticos de Portugal!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

A POESIA E A PROSA DE DANIELLA GUIMARÃES DE ARAÚJO - por Nic Cardeal

Dez autoras negras para seguir nas redes | E seus livros incríveis para ler

Cinco poemas de Catita | "Minha árvore é baobá rainha da savana"

Nordeste Maravilhoso - Viva as Mulheres Rendeiras!

Pés Descalços 03 | Quanto vale seu bicho

MulherArte Resenhas 18 | Sobre "Ao pó" de Morgana Kretzman - Por Irka Barrios

A Poesia Contundente de Jovina Souza

MulherArte Resenhas 17 | "O Olho Esquerdo da Lua" de Jade Luísa - Por Antônio Torres

Uma Mulher Admirável - Conceição Evaristo