Isabel Furini, Isabel Regina Nascimento e Gisela Maria Bester e Angela Dondoni: Teatro

 


Hoje, 19 de  Setembro, é comemorado o Dia Nacional do Teatro.
Com o objetivo de divulgar a religião, o teatro iniciou no século XVI no Brasil. Em 1808, recebeu um novo impulso com a chegada da Família Real Portuguesa. Os nobres gostavam de  teatro, e  foram convidadas companhias estrangeiras para apresentar diferentes peças. Era uma maneira culta de entretimento, de vida social, e uma oportunidade para as mulheres encantar com seus elegantes vestidos e suas joias.
O gênero cômico, iniciou no século XIX. E era muito popular. 
O teatro mais antigo do Rio de Janeiro, foi inaugurado em 1813, por Dom João VI, com o nome de Real Theatro de São João. Depois de um incêndio, foi reconstruído e inaugurado em 1930, com o nome de Teatro João Caetano.
Na continuação, nossa homenagem poética para todos aqueles que mantêm viva a Arte do palco.
Aplausos para todos os profissionais de Teatro. E que a magia do  palco continue...
Isabel Furini - Colunista


Medo do palco

os tentáculos de um polvo
aprisionam os pensamentos
as emoções, os movimentos
com a resistência de uma malha de metal

mudez no palco
a atriz só tem lágrimas
não consegue articular as palavras
as cordas vocais não obedecem
a mente escurece a memória
a voz se desintegra

emocionado, o público aplaude
algum influencer declara
que a jovem atriz interpretou magnificamente
a sua personagem

no camarim a jovem atriz sente-se frustrada
ensaiei mil vezes… mas,
esqueci a fala da minha personagem - murmura.

Isabel Furini

Imagem gerada pela IA do Bing

Divina Arte

No palco do teatro a mulher a seduzir
Com olhares profundos faz o coração reagir
Seu talento reluz como estrela a brilhar
No jogo da arte ela sabe encantar

Com coragem e paixão representa a vida
Em cada personagem sua alma é sentida
No teatro, a mulher é fonte de inspiração
Com sua arte e encanto, conquista coração

Com palavras e gestos ela cativa
No palco a mulher é criativa e viva
No mundo das artes, ela é luz a conduzir
Com sua arte e sua voz, sua força a reluzir

Através das cortinas desfila seu poder
No palco a mulher é uma rainha a florescer
Seu talento ilumina o mundo da representação
No teatro a mulher é a própria encarnação

Isabel Regina Nascimento

Imagem gerada pelo IA do Bing
(En)Cena

Vestida para o ato
com neurose e sudorese
saliva e sangue
apresenta-se na mistura que vem
da úlcera supurada
no puro teatro
da vida machucada

Dribla fantoches na coxia
e na arena do fingimento
segue sempre escavando
risonhas e trágicas peçonhas
por trás das máscaras

Sem roteiro
ela dolore e colore
porque até na seda da murcha papoula
há semente

Gisela Maria Bester, de 15/09/2023


**

Matrix

O que é a vida?
Uma encenação?

O que é a vida?
Uma ilusão?

O que é a vida?
Uma dramatização?

O que é a vida?
Uma representação?

O que é a vida?
Um teatro onde podemos escolher o papel para atuação?

O que é a vida?

Autora: Angela Dondoni





Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

200 palavras/2 minicontos - por Lota Moncada

A POESIA FANTÁSTICA DE ROSEANA MURRAY | PROJETO 8M

Nordeste Maravilhoso - Viva as Mulheres Rendeiras!

De vez em quando um conto - Os Casais - por Lia Sena

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

Preta em Traje Branco | Cordel reconta: Antonieta de Barros de Joyce Dias

UM TRECHO DO LIVRO "NEM TÃO SOZINHOS ASSIM...", DE ANGELA CARNEIRO | Projeto 8M

Resenha 'afetiva' do livro O VOO DA GUARÁ VERMELHA, de Maria Valéria Rezende

Uma resenha de Vanessa Ratton | "Caminho para ver estrelas": leitura necessária para a juventude