|coluna 14| Fala Aí - NUA por Adriana Mayrinck



Um livro em que a autora se despe de corpo e alma, mostrando toda sensibilidade à flor da pele e instiga o leitor a despir-se junto com ela, libertar emoções  deixar-se levar na leitura dos poemas e permitir que cada palavra toque profundamente percepções e sensibilidades. As asas de anjo são da Ana Acto, que os empresta ao leitor e o conduz para um voo particular - do lado de dentro.



Nua

Minh ́alma aqui, NUA...
Num vazio que me despiu e libertou das amarras
que, em falsa segurança, me suspendiam
Ilusório era meu voo que me levava ao céu
e me mantinha cativa ao chão

NUA

Libertei-me com palavras e, nelas, renasci em graça
alimentada do seu poder e de poder ser...
E armada de letras, fé e asas, embutida de amor e verdade
me concedi finalmente a tão merecida...liberdade

Ana Acto






Prefácio
por Raul Tomé

A Ana Acto é um Anjo. Afirmo-o assim, sem reservas. E não julguem, caros leitores, que o digo de ânimo leve ou que estou a tentar criar-vos uma imagem idílica de Ser. Perfeito, nada disso. Todos sabemos que a nossa maior perfeição é a de sermos imperfeitos. Pois é nessa imperfeição que reside a magia que cabe a cada um de nós.

Quando vos digo que a Ana Acto é um Anjo é porque estamos perante alguém profundamente bom, verdadeiro,genuíno.

E que melhor indumentária para nos vestir de verdade do que a Nudez?

A Ana Acto é assim, Nua, todos os dias! Sem adereços, sem véus, sem nada que não seja a sua essência límpida, radiante, pacificadora.

Quando a autora, meio receosa, me divulgou o título desta obra que agora nos apresenta, imediatamente percebi que o nome teria de ser este “Nua” e não outro.

Desenganem-se, no entanto, aqueles que acham que esta é uma nudez física. Estamos, essencialmente, perante a nudez da Alma de uma Menina Mulher.

Da menina, Ana Acto dá-nos a doçura, a ingenuidade, a inocência de quem vê o mundo e as pessoas com os olhos bondosos e puros de uma criança.


Da mulher dá-nos a sensatez, a maturidade, a ponderação, a justiça, mas também o amor, o sofrimento de um coração, a dor da perda, a sensualidade e o prazer da luxúria.

E quantos de nós conseguem despir-se assim perante todos? 
Talvez poucos. E esta é mais uma das qualidades de Ana Acto, a humildade. 
A capacidade de se expor, sem medo, a todos os escrutínios que lhe possam ser feitos.

Perguntar-se-ão os caríssimos leitores, então, o que este prefácio tem a dizer sobre a obra?

Pois bem, falando-vos da autora, falei-vos da obra, do que ela contém no seu âmago e do que nela poderão encontrar.


O autor é e será sempre a sua obra e a obra será sempre um reflexo do seu autor.
Desejo, a todos e a todas, uma extraordinária viagem  pela  Alma Nua que a Ana Acto nos oferece.





NUA - Ana Acto
foto da capa: Ana Isabel Acto
capa: Julia Mayrinck
edição: In-Finita
Colecção IPSIS VERBIS
Coordenador: Raul Tomé (Baltasar Sete-Sóis)


Saiba mais sobre a autora:

Onde encontrar:
Encomendas com a autora
e-mail: anaacto@gmail.com 

Produção:
Edição, Assessoria Literária e Eventos





Ana Isabel Correia Acto, nasceu a 5 de abril de 1979 em Tomar, e reside atualmente em Setúbal. Abriu em abril de 2018 uma página de autora nas redes sociais com o nome “Ana Acto”. Escreve-nos sobre amor, em todas as suas vertentes. Participante ativa como coautora em diversas coletâneas, antologias e livros de poesia. Lançou em 2020 o seu primeiro livro a solo que se intitula “NUA”.








Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

Cinco poemas de Catita | "Minha árvore é baobá rainha da savana"

Dez autoras negras para seguir nas redes | E seus livros incríveis para ler

Nordeste Maravilhoso - Viva as Mulheres Rendeiras!

A Poesia Contundente de Jovina Souza

MulherArte Resenhas 18 | Sobre "Ao pó" de Morgana Kretzman - Por Irka Barrios

Pés Descalços 04 | A visita do papai Noel

MulherArte Resenhas 17 | "O Olho Esquerdo da Lua" de Jade Luísa - Por Antônio Torres

Uma Mulher Admirável - Conceição Evaristo

Um trecho de romance de Babi Borghese | "Em nome do papa"