A POESIA DE LIGIA SAVIO | Projeto 8M


(fotografia do arquivo pessoal da autora)


8M
Mulheres não apenas em março. 
Mulheres em janeiro, fevereiro, maio.
Mulheres a rodo, sem rodeios nem receios.
Mulheres quem somos, quem queremos.
Mulheres que adoramos.
Mulheres de luta, de luto, de foto, de fato.
Mulheres reais, fantasias, eróticas, utópicas.
Mulheres de verdade, identidade, realidade.
Dias mulheres virão, 
mulheres verão,
pra crer, pra valer!
(Nic Cardeal)


Hoje é dia de mergulhar na imensa poesia de LIGIA SAVIO:


1)

"Agora, neste limiar
lembro dela
asas encolhidas,
mesmo assim voando no espaço, 
rindo cristalinamente
com olhos de morfina
meninazinha, menina louca
amada, odiada,
cruel, gulosa,
blue, lilás e negra
mariposa encarnada
vampira de suaves tentáculos
e boca turva,
lembrada só por mim
(fora do calor das casas
e dos mundos perfeitos)."

(*poema extraído do livro 'No dorso da palavra', Porto Alegre/RS: LiquidBook, 2018, pág. 33)

-*-*-*-*-*-*-

                         (capa do livro 'No dorso da palavra ')

2)

"O menino olhando sua sombra no chão. 
O menino carregando um livro na mão. 
O menino levantando os braços 
pra provocar a sombra.
O menino perdeu a sombra como Peter Pan?
O menino vai ser criança sempre?
O menino leva meia hora 
pra caminhar uma quadra até a escola.
Olha os jardins, para em cada portão. 
E não tem a mínima pressa de chegar. 
O menino dançando com a sombra no chão. 

E os cabelos grisalhos do menino 
me fazem pensar em tantas coisas
e fazer outras perguntas...
O que é o futuro? O que é loucura?
O que é o tempo?
E o lugar de cada coisa, qual é?
E acho tudo isso uma grande invenção..."

(*poema extraído do livro 'No dorso da palavra', Porto Alegre/RS: LiquidBook, 2018, pág. 42)

-*-*-*-*-*-*-

3)

"Estavam mortas
as folhas do sentir.
O mundo foi pisado,
triturado,
esmagado.
Não sei por que
veio esta tempestade 
sacudindo tudo
fazendo crer
que éramos nada.
Mas eu,
por uma graça alcançada,
eu segurei tua mão azul, 
tua mão inocente. "

(*poema extraído do livro 'Fios de aço', Belo Horizonte/MG: Letramento, 2019, pág. 61)

-*-*-*-*-*-*-

                                (capa do livro 'Fios de aço')

4)

"Me pergunto
o que eu faço 
neste espaço 
onde quase sempre
me despedaço
me equilibrando
em fios de aço?
E nunca meço
o que posso ser.
E nada peço,
só me despeço
de bens inúteis
e não regresso
ao que já fui.
E então descubro:
na corda bamba
só existe o agora
e os meus pedaços 
neste compasso
de sombra e luz."

(*poema extraído do livro 'Fios de aço', Belo Horizonte/MG: Letramento, 2019, pág. 74)

-*-*-*-*-*-*-

5)

"TARDE DA NOITE

Durante o dia,
o sentir da noite arrefece
e só se expressa 
de um outro jeito.
Andamos pela casa
e a luz quase que nega
o que se fez no escuro.
Mas continuam
os pactos nas veias
e se um sorri
o outro responde sem falar.
Mais tarde
as trevas benditas voltarão.
Sempre dá um pouco de medo
descer à caverna da alma
através do corpo intenso.
Descer ao centro da Terra
pela matéria mais densa.
Alguns mergulham,
mas muitos fogem.
Uns pulsam por dois, por três. 
O medo é patrimônio mundial
diante do amor.
(Fica aqui comigo na noite
rindo muito
nos lambuzando de sentir)."

(*poema inédito, publicado nas redes sociais - Facebook, em 22.03.2021)
-*-*-*-*-*-*-

6)

"LIMPEZA

Nada disso, não. 
Joga fora estas metáforas mortas.
Tira tudo dos bolsos.
Olha a planície da realidade 
sem nada a acrescentar. 
O entulho de rosas e perfumes 
varre pro canto do lixo. 
Máscaras podres no esgoto 
e um silêncio à luz de velas.
De tanta coisa te cobriste 
- te cobriram também!
Podes despir tudo agora com alívio. 
Deixa escorrer as letras 
que nunca disseram nada 
e numa vala comum 
enterra sentimentos emprestados.
Aquilo em que te tornaram 
afinal era tão pouco: 
uma essência inexistente.
(Estes textos e espaços de inocência 
não te dizem mais respeito.)"

(*poema inédito, publicado nas redes sociais - Facebook, em 26.05.2021)

-*-*-*-*-*-*-
8M: 8 de Março = Dia Internacional da Mulher: Projeto 'Homenagem a mulheres escritoras/artistas' iniciado em março/2021, por Nic Cardeal. 

 
(fotografia do arquivo pessoal da autora)


LIGIA SAVIO é natural de Porto Alegre/RS, onde reside. Professora de Português, Francês e Literatura, área em que prestou mestrado e doutorado. Participou de antologias de contos e poemas (Teia contos, Teia 2, Paisagens), além de publicar em jornais e revistas literárias, integrando-se ao movimento alternativo ou independente das artes na década de 70. É integrante do Movimento Mulherio das Letras Nacional e Mulherio das Letras/RS.

Livros: 'No dorso da palavra' (LiquidBook/2018), e  'Fios de aço' (Letramento/2019).




Comentários

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

200 palavras/2 minicontos - por Lota Moncada

A POESIA FANTÁSTICA DE ROSEANA MURRAY | PROJETO 8M

Nordeste Maravilhoso - Viva as Mulheres Rendeiras!

De vez em quando um conto - Os Casais - por Lia Sena

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

Preta em Traje Branco | Cordel reconta: Antonieta de Barros de Joyce Dias

UM TRECHO DO LIVRO "NEM TÃO SOZINHOS ASSIM...", DE ANGELA CARNEIRO | Projeto 8M

Uma resenha de Vanessa Ratton | "Caminho para ver estrelas": leitura necessária para a juventude

Resenha 'afetiva' do livro O VOO DA GUARÁ VERMELHA, de Maria Valéria Rezende