Cinco poemas de Tatiane Silva Santos | "No sonho"


Anke Sundermeier. Fonte: pixabay.com.


Cinco poemas de Tatiane Silva Santos

"No sonho"


Língua/Lengua

 

Uma mariposa

com asas pretas

enormes

se atirou em meu rosto

bem no meio do sonho

ela se esvaindo

colada

à minha pele

asa

se quebrando

aos poucos

na pinça dos meus dedos

apavorados

com os pequenos pedaços

que se desgrudavam

sem pressa

 

eu despedaçada

mariposa despedaçada

 

em espanhol

mariposa significa borboleta

e tem vezes

que a gente não se conforma

com a língua

do outro.



Castália

 

os vapores,

oráculo,

colunas

transe

penhasco

o mesmo céu

 

tantas

palavras

 

em qualquer

 - outra -

língua

 

o que sonhava a Pitonisa

quando ninguém tentava adivinhar o futuro?


Alicja. Fonte: pixabay.com


Piernas

 

[México.

Ángeles Mastretta].

Arráncame la vida

é um ótimo

título

de livro

 

a melhor parte dele

é onde uma cigana

traz a importante

lição:

ensinar

a mulher

a sentir

 

[...]

só abrir bem as pernas

achar

o timbre

[melhor não traduzir esta palavra]

esquecer

que tem braços

ou pernas

se concentrar no centro

do corpo

[...]

 

a cigana também ensina

a deixar de sentir

e esta é a melhor parte da história.

 

 

Entrega

 

Leio a tese de uma amiga

e descubro

que há em francês

a proximidade entre as palavras

mar e mãe

 

[mer – mère]

 

ela fala sobre domínio

da língua

um domínio que não existe

 

sobra então o estranhamento

 

você não domina as águas

você só pode nadar

 

[eventualmente morrer]

 

ou se deixar levar


 

Revelação

 

no sonho

chego em casa

nestas casas

que não são a nossa casa.

 

o mundo tá acabando

 

alguém faz uma faxina

tudo virado

espero

olho um sapato

em cima da cama

e sei que nunca vou usar

 

vou até o quintal

sento em um balanço

enquanto observo a rua

 

na calçada

há um buraco

no toco de uma árvore

balanço um pouco mais alto

para olhar

 

lá dentro

um grande vazio

 

mais impulso

quero ver de novo.


Peggy und Marco Lachmann-Anke. Fonte: pixabay.com


Tatiane Silva Santos, poeta, nascida em Jundiaí-SP e professora de língua espanhola na Universidade do Estado de Mato Grosso. Publicou Pedras no telhado (Patuá, 2018) e Tsurus (Quase Oito, 2020).

 


Comentários

  1. Sonhos sonhados: sonhar que a mariposa não se despedaçou, mas se multiplicou no rosto assustado da mulher; sonhar que a Pitonisa, em algum momento, descansa de todos os sonhos para sonhar os seus; sonhar com a história da cigana que, por fim, também dá um bom título de livro; sonhar que o mar, masculino em português, é como uma mãe de todos, mãe-água; sonhar que o mundo está no quintal. Obrigada pelos lindos poemas, Tatiane, apanhadora de sonhos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Machismo estrutural | Quando a imprensa também exclui as mulheres

Uma resenha de Marta Cocco | "Uma Diva na passarela estreita do Jabuti"

Um poema de Mar Becker | "à parte do reino"

Uma série pictórica de Neide Silva | Flores do Cerrado

Yedda Maria Teixeira | o prêmio da arte de amar

De Prosa & Arte| Nosso Corpo não é Bagunça!

IX Tertúlia Virtual | Vozes e Olhares de uma Poética do Feminino

Um conto de Ciça Ribeiro | "O doce bombom"

Para não dizer que não falei dos cravos | Um poema de Ricardo Leão