Poemas e fotopoemas de Giulia Lorenzini Nogueira | "um poema quando nasce esparrama pelo chão"

 

Que se faz da vela além de fogo (2019). Giulia Lorenzini Nogueira.


Poemas e fotopoemas de Giula Lorenzini Nogueira


um poema quando nasce esparrama pelo chão

 

livros de poesia

amuletos panfletos etc

talhados um a um

 

pelo silêncio-princípio

inconformado

da sua própria capa

cidade

 

não almejam

servir-lhe

de portas abertas

 

menos ainda

de oráculos decertos:

a tua procura é quem

devora por onde

pisa.


Para ser um artista (2017). Giulia Lorenzini Nogueira.

ofício

 

escrever difícil e esnobe

é sina

de quem

fez pacto urgente

pela própria sobrevivência

 

quando nasci

cravaram-me a perigosa

feitiçaria:

 

ou te curvas ao sangue e faz da tua

palavra veículo de transmissão

 

ou viverás acorrentada pela tua

própria caligrafia.

 


maresia

 

as portas se abriram

o orvalho escorreu

 

experimentou a serenidade

de um bom dia

no mar

 

amanheceu.


Jogo de ligar os pontos/pele de ligar as pintas (2019). Giulia Lorenzini Nogueira.

 

metrópole d’água

 

em terra que não chove

não desabam

as minhas lágrimas

 

mas ô,

cidade-mãe,

pra quê

tanto sofrer?

 

as nossas ruas

alagadas;

a nossa gente

ilhada;

a nossa melancolia

maximizada.

 

te pergunto

mas é só para

apaziguar

a minha culpa:

bem sei que os nossos

rios estão

soterrados,

os vossos gritos

abafados pelo concreto.

 

nos tiraram

a permeabilidade;

instalamos

a eterna dor

de sentir

morrerem afogados

os fluxos naturais...



Transbordar (2019). Giulia Lorenzini Nogueira.





Giulia Lorenzini Nogueira [Giubi] é artista de palavras, linhas e texturas. Do berço de poesia escrita entranhada nas artes plásticas, migra para produções literárias e fazeres artísticos diversificados. Nasceu em 1999, foi criada no trânsito entre a metrópole e o litoral paulistas e é psicóloga em formação pela PUC-SP. Além disso, frequentou o curso de desenho oferecido pela Augôsto Augusta Cultural, sendo aluna de Evandro Carlos Jardim. Nas redes sociais, seus trabalhos são agrupados pelo nome de giubicidades = “coisas-de-giubi”.



Comentários

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Um conto de Maria Amélia Elói | "Fécula"

Cinco poemas de Claudia Miranda Franco | "Moenda"

Sete poemas de Rozana Gastaldi Cominal | "Aos protagonistas da cultura viva"

Coluna 01 - In-Confidências - Apresentação, por Adriana Mayrinck

Coluna 02 | Fala aí... Isabel Bastos Nunes (Portugal)

Coluna 01 | Fala aí... - Apresentação, por Adriana Mayrinck

PONTE-AR: literatura preta em dia(logo) | Na moda - Catita

Coluna 01 | Mulherio das Letras na Lua - Apresentação

A poesia tocante de Wanda Monteiro

Coluna 04 | Fala aí... Terezinha Malaquias (Alemanha)