Cinco poemas de Angela Dondoni | Migrações

Imagem de Chris Martin por Pixabay. 

Cinco poemas de Angela Dondoni



MIGRAÇÕES

 

Reconcilie-se

com os seus sonhos

O céu nunca é o mesmo

Às vezes, a lua se mostra

Durante o dia

A primavera pode

Despertar mais cedo

E o vento sempre busca novas rotas



ARTÍSTICO 

 

Colore meu rosto

De arco-íris 

Borda meu coração 

Com estrelas de felicidade

Desenhe nos meus olhos 

A esperança 

Toque uma música 

Para minha alma

Pinte uma aurora Boreal 

E me dê de presente 

Com a sua companhia


Imagem de Hanjörg Scherzer por Pixabay. 
 

ALINHAVOS 

 

Nas mãos da avó 

um pedaço de pano 

se tornava um vestido 

calça ou casaco

Roupas especiais 

Costuradas com as lembranças 

De uma infância distante

Os retalhos unidos 

Com tanta ternura 

Se transformavam

nas mais belas costuras 

 


ABSOLUTA

 

O luar arquiteta

Diferentes formas

Pra encantar

Lua cheia

Nova

crescente

Ou minguante

No céu

Ou revestida de mar

De tantas formas

Vem agradar

Um distraído

Ou sensível olhar

  


INFINITO

 

Olhe para o Alto 

Olhe para cima 

Preste atenção 

O universo é imenso

O cosmos

Observe algo além…

 

Olhe o movimento das estrelas 

O nascimento do sol e da lua

Nada é estável 

No ventre da criação 

 

É fantástico!

É milagre!

Observe

 

Imagem de JL G por Pixabay. 



Angela Dondoni tem formação em Português-Literatura, é professora e mestre em Letras. Publica poemas e contos em algumas Coletâneas, também publica no Recanto das Letras e Instagram. É autora do livro Encontros com Poesia (no prelo). Participa dos Coletivos: Mulherio da Letras e Mulherio das Letras na Lua. É acadêmica vitalícia da Academia Internacional Mulheres das Letras.



Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

Nordeste Maravilhoso - Viva as Mulheres Rendeiras!

SEIS POEMAS DE MARIA GABRIELA CARDOSO | LUA PINKHASOVNA

A ESCRITA DE GIOVANA DAMACENO | por Nic Cardeal

De vez em quando um conto - Os Casais - por Lia Sena

Resenha 'afetiva' do livro O VOO DA GUARÁ VERMELHA, de Maria Valéria Rezende

A POESIA DE HELENA ARRUDA | por Nic Cardeal

Cinco poemas de Catita | "Minha árvore é baobá rainha da savana"

Nada mais vai ao caixão | Marilia Kubota

A POESIA E A PROSA DE ADRIANA BARRETTA ALMEIDA | por Nic Cardeal