Improvisos & Arquivos | prosas no tema Machismo I - do Estúdio de Criação Literária

 

|  Improvisos & Arquivos - 09 |


Prosas no tema Machismo I
do Estúdio de Criação Literária da Márcia Denser
por Chris Herrmann

Esta é a edição número nove do nosso projeto de improvisos que se transformou em coluna. Improvisos & Arquivos terá sempre alguma variação de abordagem, mas manterá a ideia de improvisação, seja minha por sugestão de amigos ou vice e versa. A publicação de hoje será a primeira de uma nova série no tema Machismo, como exercício ‘pós-Live’ que eu, Chris Herrmann, tive o privilégio de participar como convidada no dia 15 de Outubro de 2020. É a oficina online Estúdio de Criação Literária, da jornalista e escritora Márcia Denser. Foi um bate-papo muito enriquecedor que eu tive com a Márcia e seus alunos. Ao final, ela sugeriu um exercício aos seus alunos, para que escrevessem sobre o machismo, um dos assuntos abordados naquela Live. 




Ao invés de publicar todos os textos juntos, achei mais interessante publicá-los um por vez. Na coluna de hoje, publico o texto do Joel Nunes. Espero que gostem!



T e x t o I
Autor: Joel Nunes

Hosana

“No princípio, criou o Senhor Deus o homem e a mulher. Adão a partir do barro que modelou e Eva de uma costela de Adão”. Estava sacramentada a primeira divisão da humanidade: homens e mulheres. Eis aqui a origem do machismo e do patriarcado. 

E os anjos entoavam: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade”

Desde que a sociedade se divide entre homens e mulheres, a expressão máxima dessa divisão se cristalizou com o nome de Religião. Comitê executivo dos homens, forma rematada de controle a impor a ferro e fogo a dominação masculina, os modos de pensar e agir conforme seus interesses e vontades. A religião é sobretudo isso: um destacamento de homens, armados com as armas do saber e poder para educar, controlar, cadastrar e policiar as mulheres.

“És o portal do diabo, que desselou aquela árvore, foste a primeira em desertar da lei divina; ... Por causa do castigo que merecias, a morte, até o Filho de Deus teve de morrer”. Tertuliano, 155/222 DC, pai da Igreja, um dos primeiros escritores cristãos. “Mulheres, sujeitem-se cada uma a seu marido, como ao Senhor, pois o marido é a cabeça da mulher...”. Efésios, 5:22-24. “Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe compreenda”. Gênesis, 2:18. Bíblia. “Os homens são superiores as mulheres, por que Deus lhe outorgou a preeminência sobre elas e guardar os segredos dos seus maridos...” Surata IV, 34(38). Alcorão. “Bendito sejas Tu, Eterno, nosso Deus, Rei do Universo que não me fizeste mulher”. Benção matinal do homem. Talmude. “Toda a glória da filha do rei na sua casa” Salmo 45:14, Talmude. “A mulher deve obedecer normas duplamente pelo fato de ser mulher, já que provoca impermanência na busca pelo Nirvana”. Buda. “A mulher não pode se tornar um buda sem antes renascer como homem.” Tri-Pitakas.

Todo este gigantesco sistema empurra para frente os ponteiros do machismo e do patriarcado com suas bíblias, torás, alcorões, tri-pitakas e a isso se chama a-ordem-natural-do-poder-dos-homens-sobre-as-mulheres, o monopólio do céu e da terra, o poder de queimá-las em fogueiras, estuprá-las, agredi-las, mantê-las restritas ao lar ou apenas pagar salários menores.

Mundo dos códigos patriarcais, dos privilégios machistas, de saciar desejos ou perversões. Não é admitido o ingresso das desqualificadas, as que estão por fora. As mulheres.

Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Machismo estrutural | Quando a imprensa também exclui as mulheres

Uma resenha de Marta Cocco | "Uma Diva na passarela estreita do Jabuti"

Um poema de Mar Becker | "à parte do reino"

Uma série pictórica de Neide Silva | Flores do Cerrado

Cinco poemas de Tatiane Silva Santos | "No sonho"

Yedda Maria Teixeira | o prêmio da arte de amar

De Prosa & Arte| Nosso Corpo não é Bagunça!

IX Tertúlia Virtual | Vozes e Olhares de uma Poética do Feminino

Um conto de Ciça Ribeiro | "O doce bombom"

Para não dizer que não falei dos cravos | Um poema de Ricardo Leão