Tertúlias Virtuais | Poesia: a Arte do Encontro



 

As Tertúlias Virtuais/01 Poesia: a Arte do Encontro


  - por Marta Cortezão


O projeto das tertúlias virtuais surgiu da necessidade de estar em contato com escritoras e poetas que acompanhava nas redes sociais, mais frequentemente, durante a pandemia. Assim que, apoiada por algumas amigas da literatura, atirei-me nas tertúlias, a fim de fortalecer essas redes de amizades virtuais. A primeira tertúlia foi realizada no dia 13 de agosto de 2020, na companhia das escritoras e poetas Sabrina Dalbelo (RS), Rita Queiroz (BA), Myriam Scotti e Sandra Godinho (AM), o “Quarteto Penalux”, como Sabrina Dalbelo assim divulgou em suas redes sociais, naquele momento.




E quem haveria de dizer que chegaríamos a realizar tantos outros episódios? E, parafraseando Renato Russo, na letra da música “Eduardo e Mônica”, pergunto: mas quem seria capaz de dizer se existe ou não existe razão plausível para as coisas feitas com o coração? Supondo que a pergunta chegasse a Chicó, personagem do “Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna, ele responderia: “não sei, só sei que foi assim” e o divertido espetáculo da vida continuaria, assim que me uno a Chicó nesta proposição e não me complico a vida! Mas é importante ressaltar aqui (e também agradecer) a rede de apoio que o projeto foi estabelecendo com as escritoras e as poetas contemporâneas e, especialmente, com nosso querido público que nos tem acompanhado nas tertúlias poéticas e que também vê na Poesia o bálsamo para estes tempos turbulentos, já que a Poesia nos tem brindado com o prazer do encontro e tem fortalecido importantes laços de amizade na literatura e na vida.


As tertúlias foram um importante meio de difusão cultural, incluindo música e poesia, que tiveram sua origem em Paris e sempre estiveram associadas aos tradicionais cafés da época para de lá serem difundidas pelo mundo. Em Portugal, no século XIX e metade do século XX, as tertúlias também fizeram muito sucesso. Os cafés poderiam ter uma ou mais tertúlias sobre variados temas e eram grupos bem definidos que expressavam correntes ideológicas bem diferentes. Com o advento das redes de comunicação, em especial a televisão, foram surgindo também outros espaços e as tertúlias foram desaparecendo gradualmente. Recentemente, devido ao cenário de pandemia mundial, pode-se observar um ressurgimento das tertúlias sobre uma rica diversidade temática, que cada vez vêm ganhando mais espaços nas redes sociais.


No caso de nossas “Tertúlias Virtuais”, é possível afirmar que elas são um exercício de escuta igualitária que acolhe a inteligência cultural/literária de cada escritora/poeta participante, permitindo a expressão de todas e garantindo o respeito aos diferentes pontos de vista, que trazem os saberes culturais, acadêmicos, literários e poéticos de cada participante. É esse diálogo que promove a criação de sentido ao estabelecer a relação entre a obra literária, o que foi dito e o conhecimento e a experiência individuais. Esse diálogo da fraternidade, onde tudo emana da e pela Poesia e nos possibilita uma experiência única, porque humana e poética.


E, para dar cabo deste breve itinerário das “Tertúlias Virtuais”, registro aqui todas as demais escritoras e poetas que já participaram de nossas tertúlias: Luiza Cantanhêde (Piauí), Maria Julia Freire Lobo (Amazonas), Fernanda Calleffi Barbetta (EUA) e Érica Azevedo (Bahia) – episódio II; Luciene Carvalho (Mato Grosso), Paula Valéria Andrade (São Paulo), Márcia Dias (Rondônia), Patrícia Cacau (Ceará) – episódio III; Andrea Mascarenhas e Lia Sena (Bahia), Rosana Crispim da Costa (Itália), Tati Vidal (Amazonas) – episódio IV; Paula Laranjo (Portugal), Terezinha Malaquias (Alemanha), Beatriz H. Ramos Amaral (São Paulo) e Herô Ricken (Santa Catarina) – episódio V; Helena Arruda (Rio de Janeiro), Mayanna Velame e Iraildes Caldas Torres (Amazonas) e Vânia Alvarez (Pará) – episódio VI; Mell Renault (Minas Gerais), Chris Herrmann (Alemanha), Roberta Gasparotto (Brasília) e Janete Manacá (Mato Grosso) – episódio VII; Eliana Castela (Acre), Jeovânia P. (Paraíba), Divanize Carbonieri e Diná Vicente (Mato Grosso) – episódio VIII; Maria Elizabete N. de Oliveira (Mato Grosso), Jalna Gordiano e Guataçara Silva (Amazonas) e Vania Clares (São Paulo) – episódio IX. Aproveito também para divulgar o canal do YouTube Banzeiro Conexões, onde se encontram todas as tertúlias até então realizadas e aqui as cito com seus respectivos temas: I Tertúlia Virtual: Vozes Poéticas; II Tertúlia Virtual: a Poética da Sororidade, III Tertúlia Virtual: um Passeio pelo Feminino Poético, IV Tertúlia Virtual: a Poética que me Toca e me (Des)Veste, V Tertúlia Virtual: Fiando Interseções Poéticas, VI Tertúlia Virtual: Voos Poéticos por Asas Femininas, VII Tertúlia Virtual: Feminário Poético & Intimismos, VIII Tertúlia Virtual: a Poética que roça os Sentidos e a IX Tertúlia Virtual: Vozes e Olhares de uma Poética do Feminino. Caso seja de seu interesse, animo a você a se inscrever e nos apoiar inscrevendo-se no nosso canal. Desde já agradecemos imensamente.    


E que venham mais episódios para que possamos desfrutar de NOSSAS “Tertúlias Virtuais”! E desde já, aguardamos sua participação no próximo episódio da “X Tertúlia Virtual”, que acontecerá dia 23/10, Sexta-feira, às 17h30 (Brasília), às 21h30 (Portugal) e 22h30 (Espanha/Alemanha). Estaremos na poética companhia das escritoras e poetas Maria Ligia Caviglioni (Mato Grosso), Silvia Grijó (Amazonas), Verônica Oliveira (Ceará) e Wanda Monteiro (Pará). Contamos com você!



Finalizo, não sem antes agradecer também à Revista MulherArte, através da diretora e editora Chris Herrmann, que nos oportunizou este espaço para divulgar essa "Poética do Feminino" vivenciada nas NOSSAS tertúlias virtuais, cantinho poético onde nos conhecemos, porque afinal a Poesia é também a Arte de promover e celebrar maravilhosos Encontros. Obrigada, ab imo corde!








Comentários

  1. Que estreia linda da sua nova coluna, Marta! É uma honra para nosso coletivo! Vida longa às Tertúlias Virtuais. Parabéns!! 🤍
    Chris

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada, Chris Herrmann, pelo seu apoio à Literatura Brasileira Contemporânea, em especial, a escrita por Mulheres, que a Revista Ser MulherArte vem representando com louvor. Um forte abraço.

    ResponderExcluir
  3. Toda honra e toda glória à Tertúlia!
    Vida longa com muita Poesia!

    ResponderExcluir
  4. Que a Musa Poesia dite esse compasso. Obrigada, querida Janete Manacá. Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Marta Cortezao é uma importante agregadora de pessoas e tem se revelado uma ótima apoiadora da poesia e das poetas lusófonas contemporâneas.
    Foi uma honra participar do Tertúlia I.
    Minha amiga Martinha vai ainda longe, e vai levar quem conseguir junto com ela. ❤

    ResponderExcluir
  6. Minha amiga Sabrina Dalbelo, que presente é poder chamá-la de amiga. Obrigada pelo seu apoio e seu carinho de sempre. Vamos juntas! Um abraço enorme. Bjão

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Machismo estrutural | Quando a imprensa também exclui as mulheres

Uma resenha de Marta Cocco | "Uma Diva na passarela estreita do Jabuti"

Um poema de Mar Becker | "à parte do reino"

Uma série pictórica de Neide Silva | Flores do Cerrado

Cinco poemas de Tatiane Silva Santos | "No sonho"

Yedda Maria Teixeira | o prêmio da arte de amar

De Prosa & Arte| Nosso Corpo não é Bagunça!

IX Tertúlia Virtual | Vozes e Olhares de uma Poética do Feminino

Um conto de Ciça Ribeiro | "O doce bombom"

Para não dizer que não falei dos cravos | Um poema de Ricardo Leão