Cinco poemas de Gabriela Lages Veloso | "Vênus"

Imagem de pasja1000 por Pixabay. 

Cinco poemas de Gabriela Lages Veloso


Vênus

 

Folheando uma revista,

Deparo com um rosto, uma história.

Uma mulher impecável,

A beleza personificada.

Mas, ao observar atentamente

Sua face, vejo apenas uma forma,

Um esboço de vida.

 

Folheando o grande livro da história,

Deparo com uma luta ancestral

Pelo pomo da discórdia.

 

Muitos sóis e luas se passaram,

E a pergunta permanece:

Quem é a mais bela?

 

Com o passar das estações,

Em um giro pelo globo,

As formas mudaram,

Sempre mais apertadas,

Inalcançáveis

E cruéis.

 

Talvez, em um futuro distante,

Alguém compreenda que

A beleza é um espelho de muitas faces.

 

 

O maquinário

 

De Mão em Mão,

Peça por peça,

Tudo é padrão.

Produtos. Palavras. Pessoas.

Tudo é instantâneo.

 

Em um piscar de olhos,

Tudo é lixo.

E as Mãos recomeçam a sua árdua tarefa,

Peça por peça,

Tudo é eternamente novo.

 

Velocidade. Padrão. Lixo.

Antigo ciclo da novidade.

De Mão em Mão,

Peça por peça,

Tudo é insuficiente.


Imagem de Screamenteagle por Pixabay. 


Involução

 

Uma chance.

Um legado.

Duas faces de uma mesma moeda.

A educação mantém sua marcha.

 

Luta.

Indiferença.

Pratos de uma mesma balança.

A educação resiste.

 

Leis. Avanços. Retrocessos.

De repente, o mundo parou.

As diferenças se acentuaram.

 

Evasão.

Tecnologia.

Os adaptados sobrevivem?

A educação se perdeu no caminho.

 

 

Pôr do sol

 

Dia.

Noite.

Caminho entre a luz e a sombra.

 

Excesso.

Ausência.

Procuro o entrelugar.

 

Direita.

Esquerda.

Habito a terceira margem.

 

Vivo na linha tênue do horizonte.

Nem isto, nem aquilo.

 

 

eScrEveR

 

Escrever é libertar-se de si mesmo.

É poder recriar o mundo com o poder da palavra.

 

Escrever é dar asas à imaginação.

É contemplar o mundo com outros olhos.

 

Escrever é ora um alento, ora um desconsolo.

É transitar entre mundos, eras e seres.


Imagem de Alexandra por Pixabay.



Gabriela Lages Veloso é autora de contos, crônicas e poemas; graduanda do Curso de Letras (UEMA); bolsista do PIBIC/FAPEMA; pesquisadora do Grupo de Pesquisa TECER - Estudos de Tradução, Discurso e Ensino (UEMA) e participante do NIELM (CNPq/UFRJ). Em 2020, publicou o conto "O Relicário" na Revista Intransitiva (UFRJ) e em 2021 tem colaborado com revistas como Desvario, Quatetê e Tamarina Literária.




Comentários

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

Prosa Poética | Impiedosa Realidade, por Jeane Tertuliano

Especial Literatura | Vinte autoras de/em Cuiabá

Cinco poemas de Marta Valéria Aires F. Rosa | "Respiro lentamente o prazer da criação"

Três poemas e um conto de TAİ | "DIAMANTEMENTE NO CÉU"

Uma crônica de Dalva Maria Soares | "A janta tá pronta?"

Um conto de Evelise Pimenta | "Foi num sábado qualquer..."

Preta em Traje Branco | A autoestima concebida de Arleide Nascimento

Preta em Traje Branco | Trinca de Versos de Valéria Mendonça

Resenha do livro infantojuvenil de poemas, POEMEAR DE PERNAS PRO AR, de Adriana Barretta Almeida