Preta em Traje Branco | Dueto de Oyá

 


Coluna 17


Dueto de Oyá

Mulher preta.

 

Quero a liberdade de me querer,

Me bastar

Me valer


Quero a liberdade de me amar

Me apetecer

Me vencer


Quero a liberdade de me tocar

Sem vergonha

Sem enlouquecer


Tirar meus próprios espinhos.

Quero me amar,

Me apaixonar por mim


Pq sou mulher  Preta,

Preta assim…

De verdade.


**************************

 

Sou

 

Sou de Oya,

De ver,

De experimentar.


Várias paixões estão no meu caminho,

Gosto de viver intensamente cada uma delas,

mesmo que tenham espinhos.


Todos os amores por mais óbvios,

em mim despertam o prazer do desconhecido,

Mais que viver , eu gosto de sonhar,

Porque sou de quem sou

e não posso mudar


Nas asas da borboleta

No clarão do Raio a cair do céu

Pelo rio que passa

Com o vento a soprar

Sou contraditória certeza


Sou de ver,

Sou de querer

Sou de experimentar

Por que sou... filha de  Oya.



Ana Paula de Oyá, é Mulher, filha e mãe preta. Tem como principais formações as Ciências Biológicas, Psicopedagogia e Pedagogia.  Professora na rede estadual de ensino. Defensora da utilização da escola como espaço de integração entre a Cultura Periférica e Educação. Tem a escrita como arte e terapia, não rotula sua escrita ou seus pensamentos, eles são livres.

 



Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

Prosa Poética | Impiedosa Realidade, por Jeane Tertuliano

Especial Literatura | Vinte autoras de/em Cuiabá

Cinco poemas de Marta Valéria Aires F. Rosa | "Respiro lentamente o prazer da criação"

Três poemas e um conto de TAİ | "DIAMANTEMENTE NO CÉU"

Uma crônica de Dalva Maria Soares | "A janta tá pronta?"

Um conto de Evelise Pimenta | "Foi num sábado qualquer..."

Preta em Traje Branco | A autoestima concebida de Arleide Nascimento

Preta em Traje Branco | Trinca de Versos de Valéria Mendonça

Resenha do livro infantojuvenil de poemas, POEMEAR DE PERNAS PRO AR, de Adriana Barretta Almeida