A terapia da palavra em quatro poemas da jovem escritora Maria Luiza Brasil

(Foto: arquivo pessoal)


A TERAPIA DA PALAVRA

A psicóloga e escritora Roberta Gasparotto criou um projeto [série] em sua página do Facebook, em que narra a história de alguém, através de seu próprio olhar, como se estivesse na 'pele' do(a) outro(a). Ela chama esse projeto de "diga-me uma história e eu conto sua memória". Por meio dele conheci a jovem escritora amazonense MARIA LUIZA BRASIL, que se utiliza da escrita como verdadeira terapia de vida! Eis o que nos conta Roberta, na 'pele' de Luiza:

"Sou um pouco (muito) ansiosa, e nem sei por onde começar a contar a minha história. Talvez pelo amor aos livros, que é a paixão que mais me move. Mais do que isso: a literatura me salva e me resgata, todos os dias, de um mundo cada vez mais estranho. Por outro lado, se há muita loucura lá fora, eu posso lhe garantir que, aqui dentro, há uma imensa vontade de fazer diferente e trilhar outros caminhos. Sou uma pessoa que ousa sonhar, sabe? Como diz meu queridíssimo ex professor e incentivador maior, Jean Martinot: "lá vem a moça que anda com livros na cabeça, sempre equilibrada". E não é que ele acertou em cheio?! Os livros realmente me equilibram, e quando digo isso, não é apenas metaforicamente, é de verdade mesmo. 

Eu nasci através de um parto difícil, que resultou em uma dificuldade de movimentação em todo o meu lado direito , de forma que sinto que os livros vem, e endireitam o meu corpo, e também a minha alma. Aos quatorze anos eu comecei a escrever  para vencer uma depressão que me acometeu por causa de uma doença que desenvolvi. Sem aviso prévio, acordei convulsionando em casa. Lembro que consegui apenas pedir socorro à minha mãe e padrasto. Foram dois dias em coma e mais um mês de internação. 

Depois dali, minha vida mudou muito: qualquer ruído mais alto ou estimulação visual mais intensa, eu começava a ter crises de dor de cabeça. Resultado: tive que parar de ver televisão, filmes, e também, restringir algumas atividades. Em compensação, como efeito colateral positivo, comecei a mergulhar de forma muito intensa no mundo dos livros, e da escrita. 

Um universo todo novo e fascinante se abriu para mim, e com ele, mais um desafio para uma garota já acostumada a lidar com tantos: livro feito... Quem iria publicá-lo? Meus pais sem grana para bancar, eu não tive dúvidas: comecei a vender doces na escola. Nesse meio-tempo, consegui, com a ajuda de uma querida jornalista, que  minha história fosse publicada em um jornal da capital - moro em Iranduba, cidade localizada à margem esquerda do rio Solimões, conectada à cidade de Manaus, por uma ponte. 

Penso nessa história e me emociono. Tantas pessoas me ajudando a concretizar meu sonho. Um advogado da capital, Júlio Antônio Lopes, leu a reportagem e se comoveu, e, como resultado, patrocinou o meu primeiro livro. Você acredita que a primeira edição, de quatrocentos exemplares, já está esgotada? Passava o dia vendendo em feiras, na rua, nos ônibus, e em todo lugar que você possa imaginar. 

Hoje em dia, tenho uma página no Facebook, que eu lhe convido a visitar. Fiz uma aposta com meu namorado: se chegar a 1.500 seguidores até o fim do mês, eu ganho uma barca inteirinha de sushi. A página tem o nome do meu livro: "pensamentos de mim, você e todos nós". Nela, eu divulgo autores brasileiros, e claro, tenho um carinho especial em divulgar os autores amazonenses! No portal da página, uma frase que me serve de guia e inspiração: "enquanto eu tiver perguntas e não houver resposta, continuarei a escrever".

Fiquei impressionada com a história dessa jovem de 21 anos que, quase menina ainda, conseguiu  e continua conseguindo superar as dificuldades cotidianas da doença por meio da leitura e da escrita! Depois de eu ter sido convidada por Luiza a um bate-papo virtual [entrevista], e gentilmente ser divulgada em sua página do Facebook, retribuo seu carinho, apresentando quatro poemas inéditos seus, que tratam do melhor dos sentimentos, o amor, e que, segundo a própria Luiza, estarão no seu próximo livro: 


⁠AMOR INCONDICIONAL 

Descobrir que posso te amar cada vez mais a cada dia 
é como flutuar em nuvens de algodão, 
mesmo sabendo que não passa da imaginação de uma criança que, 
em sua inocência e no seu subconsciente, 
sente que são nuvens super saborosas!

Assim vejo o céu da tua boca 
e os teus doces lábios,
que me seduzem sob o brilho do sol, 
a beleza do céu, ou sob a magia da lua!

A cada descoberta e cumplicidade
eu te amo cada vez mais!

Assim vejo o céu da tua boca
e sinto a doçura dos teus lábios,
e o brilho do sol e a beleza da lua 
me motivam a te querer cada vez mais!

A cada descoberta e cumplicidade
eu te amo cada vez mais!

É um amor incondicional
do tamanho do céu, 
do tamanho do mundo,
e da forma exagerada que você me conquistou!

**********

(Foto: arquivo pessoal)


Teus olhos tornaram-se luz 
em meio à  escuridão, 
Teu sorriso virou esperança 
no meio da multidão,
Tuas mãos tornaram-se meu ponto de equilíbrio,
Enviaram-te na hora certa,
no momento exato. 
Os anjos guiaram-te no momento mais incerto 
da certeza da agulha que espetou meu coração. 
Não havia conserto 
antes de eu te conhecer.
Apenas permiti que você entrasse,
mas você acabou não entrando...
Roubou-me a felicidade,
que estava escondida a sete chaves,
bem no fundo do meu coração.

⁠**********

(Foto: arquivo pessoal)


⁠Não quero sonhar com você apenas ao anoitecer,
quero sonhar e realizar estes sonhos acordada,
ao seu lado, 
ouvir sua voz, 
seu corpo transpirando colado ao meu.

Quero te assistir jogando partidas de futebol, 
e ser o motivo daquele golaço:
'- Esse foi pra você, porque eu te amo!'

Quero escrever e dançar com você,
quero compartilhar minhas vitórias 
na sua presença,
para que você possa me colocar em seu colo!

Fiquei rica de sorrisos de orelha a orelha, 
brilhos nos olhos,
comecei a enxergar um mundo 
cheio de cores vivas!
Conhecer-te trouxe-me vontades, 
coragem e desejos!
Não há gestos, aventuras e exercícios físicos 
que sejam suficientes 
para te dizer o quanto sou sortuda 
de poder acordar 
e me aconchegar em teus braços!

**********


                         (Foto: arquivo pessoal)


POEMA IV

Bloqueia-me com teu amor, por favor
Bloqueia-me com teus beijos
Bloqueia-me com teu corpo 
colado ao meu
Bloqueia-me com teus olhos 
ao encontro dos meus,
Bloqueia-me com teu sorriso
Bloqueia-me com teu drama
Pedindo-me para tirar a roupa
na sua frente
Bloqueia-me com teu carinho,
o carinho mais sincero 
Bloqueia-me de saudades suas
assim como estou de você. 

**********

Não desista de seus sonhos, menina Luiza! Já dizia Shakespeare: "somos feitos da mesma matéria dos nossos sonhos"! Que os seus sonhos continuem virando livros - os livros de outros, os seus, os de todos - e, qual matéria viva, prossigam iluminando cada vez mais a vida - plena de saúde, esperança e amor - em seu corpo, em seu coração e em sua alma!


(Foto: arquivo pessoal)

MARIA LUIZA BRASIL nasceu em 1999 em Itacoatiara/AM, indo morar em Iranduba, no mesmo Estado, aos 7 anos de idade. Começou a escrever em 2013. Estudou na Escola de tempo integral 'Maria Izabel Desterro e Silva'. No ano de sua fundação, 5 de fevereiro de 2014, teve a oportunidade de conhecer o mestre em Geografia Jan Martinot, que a incentivou na escrita. Sofre de uma doença que a impossibilita de fazer coisas de que mais gostava e gosta, a epilepsia ("doença em que há perturbação da atividade das células nervosas no cérebro,  causando convulsões") e, por essa razão, começou a escrever - para que a depressão  causada por essa doença não mais a faça sucumbir. Até 14 de maio de 2014 Maria Luiza já havia escrito mais de 300 textos em seu celular, mas, infelizmente nesse dia ele foi roubado, levando consigo todo o trabalho literário de quase um ano. Tal acontecimento quase a levou a uma segunda fase de depressão, não fosse a insistência na escrita e na leitura.

Em 2017 lançou seu primeiro livro, intitulado PENSAMENTOS DE MIM, VOCÊ E TODOS NÓS, com patrocínio do advogado Júlio Antônio Lopes. Tornou-se  sócia-titular da ASSEAM - Associação dos Escritores do Amazonas, e da ABEPPA - Associação Brasileira dos Escritores e Poetas Pan-Amazônicos. Em fevereiro de 2020, com muito êxito, tornou-se coautora do livro ANTOLOGIA IMORTALIDADE AMAZÔNICA II. Em breve publicará seu próximo livro solo.

Link para sua página:
https://www.facebook.com/pensamentosdemimvoceetodosnos/.

(* publicação com autorização da autora e de Roberta Gasparotto)


Comentários

  1. Sua história e seu talento me emocionaram, Maria Luiza. Você é a prova viva de que o amor à arte (no seu caso, em especial à literatura) opera milagres. Parabéns pela sua determinação e talento. Continue lendo muito e não pare de escrever. Fiquei muito feliz em conhecê-la! E parabéns à Nic por por essa honrosa publicação na nossa revista! 🌻

    ResponderExcluir
  2. Uma bela e emocionante reportagem. Parabéns, Maria Luiza! A poesia cura!!!!

    ResponderExcluir
  3. Uma bela e emocionante reportagem. Parabéns, Maria Luiza! A poesia cura!!!!

    ResponderExcluir
  4. Que lindo. Só tenho admiração por essa escritora😍

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Machismo estrutural | Quando a imprensa também exclui as mulheres

Uma resenha de Marta Cocco | "Uma Diva na passarela estreita do Jabuti"

Um poema de Mar Becker | "à parte do reino"

Uma série pictórica de Neide Silva | Flores do Cerrado

Yedda Maria Teixeira | o prêmio da arte de amar

A poética que roça os sentidos | Banquete poético

Cinco poemas de Tatiane Silva Santos | "No sonho"

Era uma vez 11 I Literatura infantil inclusiva da brasiliense Alessandra Alexandria

De Prosa & Arte| Nosso Corpo não é Bagunça!

IX Tertúlia Virtual | Vozes e Olhares de uma Poética do Feminino