Três poemas de Maria Cleunice Fantinati da Silva | "Intensa(mente) temperamental"


Frida Kahlo


Três poemas de Maria Cleunice Fantinati da Silva

Intensa(mente) temperamental



MULHER INSTÁVEL I


Intensa(mente) temperamental.

Mulher multifacetada,

Pela vida recortada...

Nunca o centro, sempre os extremos.

Vive em desencontros.

Seus “eus”, instáveis,

conduz-me por seus caminhos incertos...

 Sempre tropeço

para acompanhar seus passos.

Às vezes, caio nos seus braços.

Meu desassossego, o preço

Por segundos de prazer.


Frida Kahlo

MULHER INSTÁVEL- II


Não quero teu amor.

Sou intensa.

Não conheces meu interior.

Sou inconstante.

Agora quero sexo.

Não confundas com amor.

Prazer, tudo que desejo.

Apenas alguns instantes.

Muitos beijos.

Vivo o incerto...

Não quero morrer infeliz.

Sou variável,

Infiel...

Você, compreender-me?

(In)capaz.

Preso em (pré)conceitos

Sufoca-me à liberdade.

Meu interior, devaneios...

Meu corpo, suporte

Para tantos passeios...

Não tentes seguir-me...

Sou intensa, inconstante,

Incerta e infiel...

Para mim, nem amor, nem paixão...

Tudo invenção.

Não tenho meio,

do alto me lanço ao chão...

 

Não me conheces,

Se agora bebes,

dos meus lábios o mel,

logo provarás o fel...

Você, (in)variável, (n)flexível,

(In)alterável, (in)declinável...

EU, constantemente,

 Instável....

 

 

TEMPERAMENTAL


Não tentes seguir meus passos,

nem espere magia...

Não cairei nos teus braços.

O dia foi cheio...

Eu estou vazia.

Vivo entre vírgulas.

fujo do exato.

sou imprecisa,

caminho com a inconstância.

Amanhã quem sabe...

na madrugada escura,

eu acorde excitada...

e te leve a loucura.


Frida Kahlo




Maria Cleunice Fantinati da Silva é professora na área de linguagens no Instituto Federal de Mato Grosso - Campus Avançado Tangará da Serra e Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários - Universidade do Estado de Mato Grosso.



Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Divina Leitura | O mito da beleza por Naomi Wolf e suas consequências para a vida das mulheres contemporâneas

Era uma vez 11 I Literatura infantil inclusiva da brasiliense Alessandra Alexandria

Improvisos & Arquivos | árvore/poemas - publicação coletiva

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

Cinco poemas de Angela Dondoni | "Transmutar"

Tertúlia Virtual | uma ideia genial de Marta Cortezão

Resenha do livro infantojuvenil A ÚLTIMA FOLHA, de Adriana Barretta Almeida

Uma crônica de Guiniver | "Essenciais e Perfumados"

Um conto de Carmen Moreno | "Dora"