Cinco poemas de Jeovânia P. | "Esse ganho ganhado de vida"

 

Tamara Natalie Madden


Cinco poemas de Jeovânia P.

"Esse ganho ganhado de vida"


DOR DE PRETA

 

 A dor vai enrolando a mulata

Dando um nó do pé a cabeça

Vai estrangulando

Até matar a preta de tristeza



ESCURIDÃO

 

Caminhamos para a escuridão

não por que queremos

mas por que ela nos cerca

 

tentamos acender a luz

outras mãos apagam

 

gritamos

nossos gritos

parecem não encontrar eco

 

não sabemos como andar

se há buracos na frente

se há parede

porta

desvio

ou se a estrada é reta

a escuridão não nos permite ver


Tamara Natalie Madden

HOMEM DE PODER

 

Fomos devorados pelo animal mais cruel que existe

Ele nos tirou nossa comida

Nossa roupa

Nossa luz

Nossa água

Devorou nossos filhos

E nossa nação

 

Um animal com lábia

Com circo

Sem pão

 

Resgatou nossos direitos no caixa

Deu-nos um tanto mais de deveres

E foi gozar nosso sangue



INDIGNAÇÃO

 

Eu é que não quero

Ser boi na vida

Se deixando ser levado

Junto à boiada

Passivo

Cativo

Do dominador

 

Eu é que renego

Toda forma de opressão

De controle

De subjugar o Outro

De ser subjugado

 

Eu é que nem por sonho

Deixarei

Me pôr cabresto

Montarem em mim

Usarem

O animal dominado

 

Enquanto entre eles eu for racional

Vou pensar

Correr atrás da consciência

Transformar à realidade

Gritar

Porque

Calado

Passivo

Sem reflexão

O homem perde sua humanidade

Passa a ser

Boi no pasto

 


LADRÃO

 

Tudo anda muito mudado

Todo mundo fala em aperto

Em crise

 

E até o ladrão

Se viu no mesmo sufoco

Mudou os modos

E agora de seis da manhã

O pobre já tá no batente

 

Batendo carteira

Que é preciso trabalhar

Para pôr na mesa o pão

[Cada dia mais caro]

 

Num há hora de descanso

A qualquer instante

Podemos ser abordados

Por essa aculturação

 

Esse ganho ganhado de vida

Que tira do outro o que é seu

E que do modo que vai

A profissão já já se regulariza

E aí serão os seguros sociais

FGTS

Aposentadoria

Que férias num tem pra que tirar

 

O caso é muito sério

É coisa de louco

E se não quiser dar uma de bobo tem de tá sempre atento

Para não ser a próxima vítima


Tamara Natalie Madden




Jeovânia P. é poeta e professora. Formada em Filosofia e Letras Língua Portuguesa pela UFPB, especialista em Educação Interdisciplinar pela UEPB, mestre em Filosofia pela UFPB. Atualmente é aluna especial no programa de doutorado em Letras da UFPB. Em 2016, lançou Palavras Poéticas pela editora Ixtlan. Já em 2019, lançou os livros de poesia: Poeticamente Entre Versos & Bocas, pela editora Ixtlan, e A-M-O-R, pela editora Sangre Editorial, e o livro de contos Quem abriu a boca da pedra, pela editora popular Venas Abiertas. Em 2020, RE[S][X]ISTÊNCIA pela editora da UFPB. Idealizou, organizou e lançou a coletânea de poemas e contos O Livro das Marias, pela editora Ixtlan, em 2019; e as Escritura Negras_ A Mulher que Reluz em Mim, em 2020, coletânea composta por poemas, contos e crônicas. Atualmente está organizando O Livro das Marias II, programado para ser lançado em outubro de 2020.





Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Divina Leitura | O mito da beleza por Naomi Wolf e suas consequências para a vida das mulheres contemporâneas

Era uma vez 11 I Literatura infantil inclusiva da brasiliense Alessandra Alexandria

Improvisos & Arquivos | árvore/poemas - publicação coletiva

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

Cinco poemas de Angela Dondoni | "Transmutar"

Tertúlia Virtual | uma ideia genial de Marta Cortezão

Resenha do livro infantojuvenil A ÚLTIMA FOLHA, de Adriana Barretta Almeida

Uma crônica de Guiniver | "Essenciais e Perfumados"

Um conto de Carmen Moreno | "Dora"

Três poemas de Maria Cleunice Fantinati da Silva | "Intensa(mente) temperamental"