Quatro poemas de Diana Pilatti | "Palavras Póstumas"

 

Eliane Fraulob


Quatro poemas de Diana Pilatti

"Palavras Póstumas"


Os poemas a seguir fazem parte do livro Palavras Póstumas (volume 5 da II Coleção de livros de bolso do Mulherio das Letras, Editora Venas Abiertas, Belo Horizonte/MG, 2020), que traz poemas sobre mulheres vítimas de relacionamento abusivo: solidão, medo, violência psicológica e física, e feminicídio. As ilustrações são de Eliane Fraulob.


*

senti a típica rudeza fálica

entrando no meu corpo

indiferente

sem sabor

 

               |  obrigações sociais  |

 

lembro do menino de olhos claros que uma vez elogiou minhas tranças:

refúgio-infância

 


Eliane Fraulob


olha o que me fez fazer!

 

outra vez

já não estranho mais

esse sabor hemácio na língua

 

lavou a louça

e meu silêncio arranha as paredes da cozinha

 

socorro

inaudível

outro sonho

translúcido

pelo ralo


Eliane Fraulob



não sei

meus sonhos minha voz

já esqueci meu gosto

meu verso meu verbo

só sei o seu... e o seu só-mente

 

meu corpo?

você já o tem

ora permitido ora objeto

 

meu sangue?

já o tomou

à força a punho e lágrima

 

o que mais você quer de mim?

a minha alma?


Eliane Fraulob



uma réstia de sonho

candeia na minha alcova

a esperança fraturada

reluz

sobre meu corpo-lúteo

 

sob o travesseiro

alguns versos idílicos

e na vertigem da madrugada

cá não estou mais



 


Diana Pilatti é paranaense de Foz do Iguaçu, mas mora em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, desde a infância. Professora da rede pública e poeta. Formada em Letras (UCDB) e Mestre em Estudos de Linguagens (UFMS). Autora dos livros Palavras Avulsas (2019) e Palavras Póstumas (2020). Organizou a I Mostra Poetrix (2020) e participou de várias coletâneas e publica poesia nas redes sociais @dianapilatti e no blog dianapilatti.blogspot.com 




Eliane Fraulob é graduanda de Arquitetura e Urbanismo, ilustradora e fotógrafa nas horas vagas. Reside em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Participou de diversas exposições pela cidade desde 2018, incluindo o MARCO - Museu de Arte Contemporânea do MS. Seu trabalho pode ser encontrado nas redes sociais @elianefraulob e no instagram @fra.ulob. 


Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A terapia da palavra em quatro poemas da jovem escritora Maria Luiza Brasil

A beleza no humanismo e na denúncia da poesia de Edir Pina de Barros

PodPapo 09 - entrevista com a escritora, editora e coordenadora do Focus Brasil NY Nereide Santa Rosa

Um conto de Marithê Azevedo | "Céu Escuro"

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

Divina Leitura | As multiplicidades de "Santuário" de Maya Falks

Quatro poemas de Helenice Faria | Uma poética da resistência

Três poemas de Dayane Soares | Uma poética do tempo e da ancestralidade

Um miniconto de Silviane Ramos | "De que cor ficou?"

Seis poemas de Mara Senna | Ponta de estrela