Era uma vez 9 I A representatividade na literatura infantil da baiana Cassia Valle

 



Cassia Valle é baiana, atriz, museóloga, historiadora e escritora. Ficou bastante conhecida em sua participação no filme Ó Paí ó, interpretando a personagem Mãe Raimunda. Segundo a escritora, sua missão é representar e atuar na orientação e implantação de procedimentos artísticos, educativos e culturais ligados à preservação do patrimônio cultural afro -brasileiro.

Durante um projeto chamado “Patrimônio Cidadão”, em parceria com Luciana Palmeira, no qual visitavam comunidades para saber o que seria patrimônio para as crianças, com o objetivo de falar sobre museu e patrimônio, e tirar a ideia que museu é coisa velha e enferrujada, foi que Cassia e Luciana se aproximaram da temática. Assim nasceu o livro “Calu – Uma menina cheia de histórias”, para que as crianças daquele local se sentissem representadas em uma obra que a personagem principal é preta e a capa é preta.  O livro traz uma poesia de uma criança que se reconhece na poesia e na arte como um todo.

Calu, uma menina cheia de histórias aborda de forma lúdica, criativa e transformadora as memórias da ilha da Boca do Rio, contadas por uma menina que foi habilitada por seus avós – gritos, detentores do passado e da ancestralidade.


Seu segundo livro é Bloquinho de poemas e canções da Calu, um livro de bolso, de poesias e canções autorais, inspiradas no livro Calu, uma menina cheia de histórias, com várias páginas em branco para os leitores darem asas a imaginação, e despertar o interesse para escrita dos leitores. Feito em parceria com Luciana Palmeira e Cell Dantas, o livro foi editado pela Malê editora.

O premiado livro “Calu, uma menina cheia de histórias” virou Sarauzinho e ganha os palcos da cidade. A Performance literária “Sarauzinho da Calu” com apelo para o imaginário infantil e  para a necessidade de salvaguarda da memória.

O livro, que tem prefácio do ator e escritor Lázaro Ramos e foi vencedor do prêmio APCA – São Paulo em 2017 na categoria literatura infanto-juvenil, inspirou a performance que é dirigida pela autora. O Sarauzinho utiliza a ferramenta da poesia, música e literatura infantil para falar de representatividade, tradição memória e identidade”.


cassia.vale


@cassia_vale2



Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Divina Leitura | O mito da beleza por Naomi Wolf e suas consequências para a vida das mulheres contemporâneas

Era uma vez 11 I Literatura infantil inclusiva da brasiliense Alessandra Alexandria

Improvisos & Arquivos | árvore/poemas - publicação coletiva

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

Cinco poemas de Angela Dondoni | "Transmutar"

Tertúlia Virtual | uma ideia genial de Marta Cortezão

Resenha do livro infantojuvenil A ÚLTIMA FOLHA, de Adriana Barretta Almeida

Uma crônica de Guiniver | "Essenciais e Perfumados"

Um conto de Carmen Moreno | "Dora"

Três poemas de Maria Cleunice Fantinati da Silva | "Intensa(mente) temperamental"