Para não dizer que não falei dos cravos | Seis poemas de Giovani Miguez

 

Coluna 16


Seis poemas de Giovani Miguez




MUSAS, PUTAS E MÃES
contra meu machismo

 

1.

 

sou macho, eu acho.


mas, resolvi abandonar essa bandeira, 

dedicar minha vida a uma outra forma  

de afirmação.


racho esse meu escracho.


pois, estou tão equivocado com esse retrato 

que não quero mais vê-lo espalhado

pelo meu itinerário.


 

2.


esse papel foi um esculacho. 


pois, na vida idealizei musas

como se fossem minhas ideias confusas

sobre o que é ser mulher.


ah, esse macho!


foi um terrível engano,

porque nenhuma delas estava à altura 

da minha baixa estatura.



3.


sendo macho


não tive coragem

de procurar putas, nem no meu quarto,

por que idealizei demais o ato. 


dai, virei capacho


desse macho que não é macho

e acabou adoecendo seu lado masculino 

desequilibrando seu feminino.



4.


não nasci macho,


mas nasci filho da mãe,

sendo educado para ser esse tal macho


que vê na mulher a sua mãe. 


como ser macho,

tendo a mãe na sua cama?

e é exatamente esse maldito drama

que mata qualquer despacho.



5.


a doença do macho


é enxergar a puta, a musa ou a mãe, 

mas não a mulher que está além

de qualquer estereótipo. 


jogo baixo,


aliás, essa mania que macho tem

de ser dono da relação, num mundo 

em plena transformação.


machismo isso de ser macho, 

acho.


Imagem de Anja por Pixabay.


GOTA
homem não chora?


a gota do teto 

não cai.


é como lágrima

presa,


cai

de surpresa


quando dói 

o peito.



HUMANIDADE ESSA

 

antes

aqui era floresta.

 

hoje

nenhuma árvore resta.


amanhã

aparar-se-á quanta aresta?


que humanidade é essa 

que tanto se detesta?


Imagem de Couleur por Pixabay.

PULSAÇÃO


as veias 

pulsam

até que expulsam 

as teias

que se acumulam 

em mim.



NARCISO CANSADO

 

cansado,

sentei ao seu lado, 

busquei

um conselho,

mas não encontrei, 

pois havia um espelho 

e tudo que vi

foi eu que escolhi 

ver.




tem

tanta gente 

ao meu 

redor

e eu

estranhamente 

tão

 

só...


Imagem de Couleur por Pixabay.




Giovani Miguez é poeta, filosofante e caminhante. De Volta Redonda, interior do estado do Rio de Janeiro. Atualmente reside na capital fluminense, onde é servidor público, casado e pai de dois meninos. Autor de Quase Histórias (Autografia, 2019), Animal Poético (Multifoco, 2020), Um poema por dia (Selin Trovoar, 2020) e Nem te conto (Selin Trovoar, 2021). Faz do Instagram (@giovanimiguez) sua ágora poética. Mantém um blog onde divulga parte do seu trabalho: www.umaniste.blog.



Comentários

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

Prosa Poética | Impiedosa Realidade, por Jeane Tertuliano

Especial Literatura | Vinte autoras de/em Cuiabá

Cinco poemas de Marta Valéria Aires F. Rosa | "Respiro lentamente o prazer da criação"

Três poemas e um conto de TAİ | "DIAMANTEMENTE NO CÉU"

Uma crônica de Dalva Maria Soares | "A janta tá pronta?"

Um conto de Evelise Pimenta | "Foi num sábado qualquer..."

Preta em Traje Branco | A autoestima concebida de Arleide Nascimento

Preta em Traje Branco | Trinca de Versos de Valéria Mendonça

Resenha do livro infantojuvenil de poemas, POEMEAR DE PERNAS PRO AR, de Adriana Barretta Almeida