200 palavras/2 minicontos - por Lota Moncada




Cris Acqua


Minicontos com cem palavras contadas


Acompanhantes

(Lota Moncada)    

São fugidios, talvez tímidos, durante o dia não se deixam ver. Ficam se camuflando entre as muitas fotos ou as roupas penduradas no armário, mas sempre estão aí. Esperando uma oportunidade.
Às vezes, um farfalhar, quase um suspiro, me faz virar depressa tentando surpreendê-los. Somente uma frustração.
Remexo, ansiosa, nos muitos papéis espalhados, nas cartas amareladas, falo baixinho, provocando, fingindo paixão... Então, eles pulam, deixam meu cabelo em pé, reviram meu mundo e tomam conta do insuportável vazio.
Hoje, estou decidida a deixá-los me assaltar e enfrentá-los. Mesmo que amanhã não tenha mais monstros, medos, fantasmas, passado...  
E nenhuma companhia.

****

 A melindrosa

(Lota Moncada)

Todos a achavam fraquinha. Apenas se podia arrastar o carrinho do supermercado, sempre com olheiras e mal alimentada. Falava pouco também. No bairro era conhecida como "a melindrosa ".
Por isso, todo mundo se surpreendeu quando a viram sair da delegacia, com o olhar brilhante, um jeito diferente de caminhar: firme.
Com segurança, entrou no bar, pediu um café bem forte e um farroupilha e conversou animadamente com quem quis puxar conversa.
Depois de anos de silêncio, de suportar humilhações e agressões em casa,  “a melindrosa” arranjou coragem para terminar com aquilo, definitivamente.
O delegado disse que foi legítima defesa.

***

Minicontos publicados no segundo volume da Coletânea, "Outras Sem/Cem Palavras" (Editora Bestiário/2018)





Lota Moncada (Santiago de Chile, 1948) filha de pai chileno, poeta, e mãe uruguaia, atriz, foi criada no Uruguai, e naturalizada brasileira, em Curitiba onde morou por 18 anos. Atualmente mora em Porto Alegre. Atriz profissional há 54 anos, Licenciada em Filosofia, pós-graduada em Linguística Aplicada  é professora de Espanhol e Português para Estrangeiros, tradutora e escritora. Embora escreva - fundamentalmente poesia - desde criança, só se permitiu publicar a partir de 2010, no seu blog bilíngue Palavras Palabras (http://palavraspalabras.blogspot.com), na internet, e em algumas antologias: `Ecos da alma´ e `O segredo da crisálida´ (Andross–SP- 2010 e 2011), `Una isla en la isla´ (prêmio de poesia em espanhol de Latin Heritage Foundation- EUA, 2011), `Poesia do Brasil´ - Vol. 17 (Bento Gonçalves RS- 2013), `Cantos Breves´ (Pará, 2015), `Blasfêmeas, mulheres de palavra´ (Casa Verde – P. Alegre, 2016); a tradução ao português e a organização da antologia bilíngue, junto com o poeta Ricardo Silvestrin, de `Habito um país distante´ do poeta chileno Julio Moncada, seu pai, editora Artes & Ecos – RS, 2017. 
Em 2018 participou da coletânea de minicontos `Sem/cem palavras´,  pela Editora Bestiário, RS e em 2019 no segundo volume de minicontos, `Outras Sem/Cem palavras ´, pela mesma editora.
O primeiro livro individual de poesia, `a menor ideia´, foi lançado pela Editora Bestiário, RS em 10 de julho de 2018. 
Além de livros, tem publicado em revistas literárias como: Mallarmargens, Como eu escrevo, Revista Literatura & Fechadura, O poema do poeta, e nas revistas impresas: Gente de Palavra e Entreverbo, no próprio blog Palavras Palabras e na sua página no Facebook.
Tem 2 Cds de poemas gravados por ela e em projeto, para este ano de 2020, o terceiro Cd que inclui várias canções compostas por diferentes parceiros com letra de seus poemas. 


Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Era uma vez 11 I Literatura infantil inclusiva da brasiliense Alessandra Alexandria

Divina Leitura | O mito da beleza por Naomi Wolf e suas consequências para a vida das mulheres contemporâneas

Cinco poemas de Angela Dondoni | "Transmutar"

Tertúlia Virtual | uma ideia genial de Marta Cortezão

Tertúlias Virtuais | Poesia: a Arte do Encontro

Resenha do livro infantojuvenil A ÚLTIMA FOLHA, de Adriana Barretta Almeida

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

Um conto de Carmen Moreno | "Dora"

De Prosa & Arte | Cumpleaños

Dois contos de Flávia Helena | "Amor não se joga fora" e "Terra Seca"