A poesia terna e lúdica de Alessandra Sanches

Gabriel Moreno

Condição
Se você flor

eu voo

na vertigem

do encontro

***

Re(construção)
Descalço meu chão

costuro asas

é preciso voar

para sonhar

ainda que a vida

peça ajustes

Gabriel Moreno

Mosaico
Não me procures
por aí
não me encontrarás
assim
mesmo que me vejas
não me encontrarás
sou constituída
de cada pedacinho
de dor
de mim
gosto de estar
do lado
de dentro


Gabriel Moreno

Manhã
Numa manhã
de Manoel de Barros

um pio de pássaro
eterniza o amanhecer

toca a alma
e ilustra a vida

Sou além
do que sou

cheia de céu
por cima

e à flor
da pele

***
Amaino pedras
solitárias
ouço barulho
das águas líricas
sinto vento
próspero
quando me encontro
em estado de poesia

Gabriel Moreno

Entre mim e você
Há céu
com presságio de aves
há vento
que sacode o abrigo
da minha timidez
há aurora
com olhar de primeira vez
há poema
assentido do ter sido

***
Alessandra Sanches Chervencov é paulista,natural de Sorocaba.Professora,formada em letras e pedagogia, pós graduada em produção de texto.Ministra aulas de língua portuguesa na prefeitura municipal de Araçoiaba da Serra.Lê e escreve poesias,apaixonada pela arte em geral,amante da literatura.

Comentários

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A terapia da palavra em quatro poemas da jovem escritora Maria Luiza Brasil

PodPapo 07 | Entrevista com a cantora e multiartista Lica Cecato

A beleza no humanismo e na denúncia da poesia de Edir Pina de Barros

PodPapo 09 - entrevista com a escritora, editora e coordenadora do Focus Brasil NY Nereide Santa Rosa

Um conto de Marithê Azevedo | "Céu Escuro"

Para não dizer que não falei dos cravos | Poemas e videopoemas de Rogério Bernardes

Três poemas de Dayane Soares | Uma poética do tempo e da ancestralidade

Um miniconto de Silviane Ramos | "De que cor ficou?"

Divina Leitura | As multiplicidades de "Santuário" de Maya Falks

Quatro poemas de Helenice Faria | Uma poética da resistência