UniVerso de Mulheres 05 - Um Poema Inédito de Julie Dorrico, por Valeska Brinkmann


Um Poema Inédito de Julie Dorrico, por Valeska Brinkmann


                                                                              Foto© Inaê Guion

        

O boto
                                                                                           Para Márcia Kambeba

Na ponta da canoa
O canto ecoa
Lá vem o boto!

Da proa da canoa
Dá pra ver o boto
Brincando com o vô

Lá vem o boto
No pé do Apeú
Atrás do canto!

O boto gosta de canto!

Um encantado faz o quê?
Canta!
Por isso ele veio!
Por isso ele vem!

Às vezes homem
Às vezes criança
Às vezes mulher

Da ponta da canoa
Quem ele é?

Ô boto bonito
Me leva pra ver o teu mundo?
No balanço do maracá
O canto ecoa
Ecoa o canto!


Julie Dorrico, nasceu em Guajará-Mirim (Rondônia) é descendente do povo Macuxi . Doutoranda em Letras na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).
Publicou recentemente o livro Eu sou macuxi e outras histórias (editora Caos & Letras, de Belo Horizonte), vencedor do Prêmio FNLIJ Tamoios 2019.

Tem contribuído imensamente para a divulgação da literatura indígena brasileira através de Lives com autores e artistas indígenas nas redes sociais e da rede de difusão Leia Mulheres Indígenas, do qual é integrante.

                                              

Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

Nordeste Maravilhoso - Viva as Mulheres Rendeiras!

Para não dizer que não falei dos cravos | "Retratos" e "Autorretratos" de José Inácio Vieira de Melo

Poema | Fremente, por Jeane Tertuliano

Um ensaio de Isabel Furini | A Poesia e sua Função

Pés Descalços 01 | Menino ou Menina

Três poemas de Josuelene Souza | Autorretrato

Para não dizer que não falei dos cravos | Cinco poemas de Pedro Vale

Cinco poemas de Valéria Paz | "Era vida e se quebrou"

Cinco poemas de Catita | "Minha árvore é baobá rainha da savana"