Fotografia 6 | Projeto Pixel Ladies + Revista Ser MulherArte - Julia Pilati

| Fotografia  6 - Julia Pilati | 


Projeto Pixel Ladies + Revista Ser MulherArte
por Bianca Velloso, Suzana Pires, Chris Herrmann e Lia Sena

Pixel Ladies é um grupo de fotógrafas brasileiras com experiências de vida diversas e a Revista Ser MulherArte é um coletivo de artistas mulheres de língua portuguesa. Ambos têm o objetivo de divulgar a produção artística das mulheres.

A arte é o que nos salva da dureza dos dias. Por isso a Pixel Ladies e a Revista Ser MulherArte lançaram um desafio poético durante a quarentena. A Pixel Ladies propõe a imagem em postagem no Facebook e as poetas que se sentirem tocadas escrevem um poema. A Revista Ser MulherArte seleciona e publica.

A fotografia número 6 foi da Julia Pilati

Estes foram os poemas selecionados com suas respectivas autorias:




Clube da Esquina

Nas ruas de Londres, nas avenidas de Nova York, na periferia de São Paulo, nas favelas do Rio, somos  meninos. Nos deixem crescer.

Valeria Bicca Ferrari


☬꧂


Sororidade
Frater
Toda a cor é coração!

Tere Tavares


☬꧂


febem do tatuapé
hoje, virou praça
naquele espaço vazio
há som de pássaros
crianças subindo 
nos bancos
de olhos fechados
ainda pude ouvir 
os gritos 
de meninos aflitos
fiz uma oração 
em forma de poesia:
vidas negras importam

Ligia Regina Lima


☬꧂


Estigma

Tenho na pele ,
tenra, 
 a flor
e sobre ela 
a flor da pele
Preciso de algo
que me sirva 
ou algo
que me revele

Eliane Silva


☬꧂


Fácil fazer poemas de flores
do seu quintal. 
e ignorar o negro que vive 
na vizinhança ou não...
Fácil engajar-se no protesto
quando é e vive branco
Fácil não olhar, 
a foto do menino que pede
A vida das crianças negras importam! 
IMPORTAM? 

Suzana Pires


☬꧂


Vai, criança!

vai, criança negra linda
brincar com outras crianças
rir, chorar, dar cambalhotas
e sonhar

vai, criança negra linda
se orgulhar da cor da pele
da sua própria e da família
e se arrepiar com a poesia

vai, criança negra linda
crescer e viver sem precisar
se justificar e se diminuir
mas nunca deixar de lutar
pelo seu direito de ser,
de ir e vir

vai, criança negra linda
amar-se e se dar valor
porque o racismo
é um prato cheio de ódio,
de almas vazias, sem brilho
e sem cor.

Chris Herrmann


☬꧂


Dói-me a pele branca
de susto e medo
porque o coração
bate igual
e nada nos aparta

Tu és criança
bela, arteira
como a primeira 
amiguinha
de minha infância
longe no tempo
nenhuma cor
nos definia.

Tu és criança
bela, sagaz
como meus 
alunos pretos
que me sorriam
nas manhãs
colegiais.

Tu és criança
como meu filho
de alma
pele que define
força e grandeza.

Ébano e marfim
no teclado infinito
tocam a mesma
música vital.

Claudia Manzolillo




🤍


Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A poesia bela e visceral de Jade Luísa

Uma Colher de chá pra ele - Fabrício Brandão

Improvisos & Arquivos 06 | O que eu observei nessa pandemia - publicação coletiva

Zezé Freire | 4 poemas

Camila Pina | Uma pausa pra falar de gênero

Quatro poemas de Rita Delamari

Coluna | Ouvindo Mulheres 11 - O poder sagrado de Auritha Tabajara

Isabel Furini & Luciane Valença | 5 poemas 5 telas

Fotografia 7 | Projeto Pixel Ladies + Revista Ser MulherArte - Gabriela Radde