Quatro poemas de Rita Delamari


Gabriel Moreno


"Agora ela é a sua própria lança!"


ESCOMBROS

Meu peito inflama
com uma chama
que me invade
de incertezas.

A cada tombo
me levanto
e organizo
meus escombros.

Dimitra Milan

FORTALEZA


Em meio à selva,
abdicou do medo,
escolheu a presa!
Carrega o escudo,
o lobo é companheiro...
Deusa que vive
a proteger
os indefesos,
fortaleza!
Deusa lunar...
Não teme
o escuro...
Pelo caçador,
não mais
será abatida...
Guerreira da paz!
Agora, ela é 
sua própria lança!


Gabriel Moreno

REDENÇÃO

Uma mulher que resiste,
e insiste em viver...
Maria, que em sua sina,
serviu-se de força,
trabalhou a autoestima.
Acolheu tantas outras...
Deu-lhes guarida,
para seu fortalecer.
Guerreira revestida do bem!
Seguiu sempre em frente,
desviando os espinhos.
Direcionou-as, as Marias
ao exato caminho, 
o qual deveriam seguir.
Ela foi ainda mais além:
Mostrou-lhes que eram belas.
Ensinou-lhes que as
culpadas não eram elas!
Compadecendo-se,
então, da dor delas,
esqueceu seu penar.
Ao ultrapassar o medo
que sentira de seu algoz,
a elas, deu-lhes voz.
O amor foi a sua cura
e a sua redenção!


Hieu a.k.a

O VOO DA FÊNIX

Por anos prolongados
tanto que sonhou...
Escravo do próprio eu 
viveu o que não quis,

do seus desejos abdicou;
Mas um dia,
de tudo isto cansou!
Decidiu amar,
resolveu ser feliz.
Tomou as rédeas
do seu destino
e o direcionou,
Tal qual a fênix
sua lágrima o curou.
Das cinzas
De um escuro passado
Renasceu!
Sem olhar para trás,
sem medo de julgamento.
Não havia dor na cicatriz!
Homem ou mulher?
Não! Sonho de liberdade
Ser o que quer!
Tornou realidade,
seu fardo carregou!
Nas suas asas viu a beleza
das penas multicoloridas
que mostram uma leveza.
E para a vida, voou!

***


Rita Delamari, poeta curitibana; cursou Redação Técnico-Científica e tem formação acadêmica em Pedagogia. São três seus livros publicados: Das pedras as flores, Editora Íthala, 2011; Da janela do quarto, Editora Blanche, 2015; Contornos e contrastes, Marianas Edições, 2018. Participou de diversas antologias, nacionais e internacionais; tem participação no ebook Tuíra, produzido pelo coletivo “Marianas”, 2020. Atua nos coletivos Marianas e Mulherio das Letras.



Comentários

  1. Esses quatro poemas de Rita Delamari, chamam a atenção pela beleza e força expressiva. Já a conheço, e foi ela que tem me ensinado a admirar esse gênero literário. Agradeço.
    E na beleza desses quatro poemas, podemos ver uma interligação de vivências, um constante vir a Ser. Dos Escombros ao Vôo da Fênix uma saga, uma expressiva vontade de Vida, de criação, de liberdade, de anseios brotam no forjar dessa lança de puro aço para atingir o coração de seus leitores e leitoras e assim, transpassar com a beleza transformadora da Arte literária.
    Parabéns, Rita Delamari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Meu querido João Luiz agradeço seu comentário sempre tão importante para mim. Forte abraço meu amigo.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Vania querida obrigada por seu comentário. Feliz que gostou.

      Excluir
  3. Lindo ndo Rita! Que combinação agradável e forte! Parabéns!!! Mulher!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Era uma vez 11 I Literatura infantil inclusiva da brasiliense Alessandra Alexandria

Divina Leitura | O mito da beleza por Naomi Wolf e suas consequências para a vida das mulheres contemporâneas

Cinco poemas de Angela Dondoni | "Transmutar"

Tertúlia Virtual | uma ideia genial de Marta Cortezão

Tertúlias Virtuais | Poesia: a Arte do Encontro

Resenha do livro infantojuvenil A ÚLTIMA FOLHA, de Adriana Barretta Almeida

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

Um conto de Carmen Moreno | "Dora"

De Prosa & Arte | Cumpleaños

Dois contos de Flávia Helena | "Amor não se joga fora" e "Terra Seca"