Uma Colher de chá pra ele - Fabrício Brandão

|Uma colher de chá pra ele 08|

'Cinco poemas e um brinde a mais por Fabrício Brandão'


René Magritte

CARTILHA

Ensina-me outros modos
que não sejam estes
os de agora
irrompendo em peles amanhecidas
idiomas antigos que não uso mais

Deixa-me assim
taciturna a mente
sem contar os fios que caem

Posso arranhar paredes de qualquer madrugada
sem que o temor se agigante
nesses olhos rasos que sempre aprenderam
a secar em silêncio


"Gotas" Fotografia por Marcelo Sena


CICLO

duas gotas bastam
para que tudo se dissolva
e em restos
petrifique as marcas gastas

dessa tua passagem
por aqui colhi certos frutos
ignotas contas
de cerzir o míope bordado

eu que sempre quis estar no mundo
hoje bebo do estranhamento
antigo costume de repetir


 
Salvador Dali


talvez ainda fique aqui
suspenso na poeira resvalada dos saltos
espalhado pelas varandas pueris de qualquer dia

na medida certa do arremesso
estarei no limite de vãs razões

embora me creia permanente espectro
poderei habitar apenas um lugar
este que cultua os esquecidos



Salvador Dali

SIDERAL

porta aberta
em universo tal
represente a mim
na construção do que penso.

viajai demasiado,
oh, nave colossal,
percorrendo o grande espaço
que se diz infinito.

percebe em muito
a minha perplexidade
com noções
              confusões do todo.

vede
a mola que arremessa o mundo
já não é mais coração pulsante.

[agora faço parte do mistério da Criação]



Tim El-Helou


 OFERENDA

Para Valéria Freitas

Os gestos bebem presságios
e não há vagas
para uma prole confusa de desejos.
Passar incólume pela pureza
é ofício de ruminantes horas,
um desvio a seguir.
O movimento do lugar infinito
sabe de si,
flutua na camada invisível de sonhos,
jamais recupera o sabor de ontem.
O vento que se encarrega de mexer marés
sussurra virtudes para quem se permite livre.

***

 Fabrício Brandão canta 'Amanhã' de Guilherme Arantes 





Fabrício Brandão é editor da Revista Cultural Diversos Afins, formado em Comunicação Social pela Universidade Federal do Espírito Santo. Escreve versos e prosas, alguns publicados em livros e revistas. É mestre e, atualmente, doutorando em Letras pela Universidade Estadual de Santa Cruz. 


www.diversosafins.com.br







Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Era uma vez 11 I Literatura infantil inclusiva da brasiliense Alessandra Alexandria

Divina Leitura | O mito da beleza por Naomi Wolf e suas consequências para a vida das mulheres contemporâneas

Cinco poemas de Angela Dondoni | "Transmutar"

Tertúlia Virtual | uma ideia genial de Marta Cortezão

Tertúlias Virtuais | Poesia: a Arte do Encontro

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

Resenha do livro infantojuvenil A ÚLTIMA FOLHA, de Adriana Barretta Almeida

Um conto de Carmen Moreno | "Dora"

Três poemas de Maria Cleunice Fantinati da Silva | "Intensa(mente) temperamental"

De Prosa & Arte | Cumpleaños