O lirismo de Patrícia Pinheiro | 7 poemas

Monika Luniak

Dou de beber
ao passado

e recordo
que doer é finito
e que viver
não passa de
assoprar velas coloridas
de impermanência.

###


Monika Luniak

Eu me descuidei
da matemática
dos teus anos.
Quando me perguntam
com que idade
tu viraste
poeira estelar
e deixaste
de segurar minhas mãos
assustadas e incompletas,
eu tento fazer as contas
e me distraio.
Acho que eu fingi
que os caminhos
não te roubaram
antes
de eu estar pronta;
que ainda não
restariam muitas partes de mim
que necessitariam do teu colo.
Mas eu entendo.
Eu aceito.
Eu prossigo.
E te abraço
e te conto sobre
o que eu descobri
sobre o mundo
quando te sonho.
Só não me peças
para lembrar
há quantos invernos
tu não respiras
porque nem meus pulmões
se acostumaram
com estes cômodos
que nunca mais
estarão impregnados
do cheiro
do teu cigarro preferido.

###

Monika Luniak

Visito teu nome
na alquimia das horas;
no que só se vê
através de olhos mágicos.
Visito teu nome
e te peço que devolvas
um pouco de mim
a cada vez
que eu te deixar ir.

***

Eu secretamente
desejo
todos os dias
que, por dor
ou insistência,
essa máscara finalmente se rompa
e eu volte a enxergar
com os olhos de dentro.

###


Monika Luniak

Eu queria mergulhar os pés
naqueles sonhos bons
em que a gente voa no mar
e nada nas estrelas
e nem por um segundo
desperdiça magia
pisando nos cacos
do que é real.

***

Lunática:
minguo;
divago;
cresço.

###


Monika Luniak

Hoje ela deitou e desejou que a noite lhe emprestasse a infância,
apenas para que suas dores
ganhassem colo
e o conforto a amanhecesse
novamente certa das paisagens que moram atrás
do desembaçar constante
das janelas de sua vida.

###


* Poemas retirados do livro digital 'Quadripartida' que pode ser adquirido com a autora, através do Messenger.




Patrícia Sebastiany Pinheiro tem 27 anos e é natural de Santa Maria (RS). É graduada em psicologia e amante das palavras. Poeta e cronista, publicou em 2019, pela editora Laranja Original, seu primeiro livro de poemas. Compartilha seu trabalho nas redes sociais, trabalhou como colunista de sites como Conti Outra e HuffPost Brasil, e marca presença em diversos sites e revistas literárias.








Comentários

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A poesia bela e visceral de Jade Luísa

Uma Colher de chá pra ele - Fabrício Brandão

Quatro poemas de Rita Delamari

Improvisos & Arquivos 06 | O que eu observei nessa pandemia - publicação coletiva

Zezé Freire | 4 poemas

Camila Pina | Uma pausa pra falar de gênero

Coluna | Ouvindo Mulheres 11 - O poder sagrado de Auritha Tabajara

Isabel Furini & Luciane Valença | 5 poemas 5 telas

Fotografia 7 | Projeto Pixel Ladies + Revista Ser MulherArte - Gabriela Radde