PodPapo 02 - entrevista com a escritora Lia Sena

|  PodPapo 02 |


PodPapo - Entrevista com a escritora Lia Sena
por Chris Herrmann


O segundo número da nossa coluna de entrevista em formato de áudio é com a escritora baiana Lia Sena. Foram 20 minutos de uma boa conversa sobre literatura, sobre a nossa Revista Ser MulherArte  e a pandemia. A entrevista foi realizada na data de hoje, via WhatsApp. Para ouvir clique na seta abaixo do nosso Podcast:




Foto | acervo pessoal


Lia Sena nasceu em Mairi. uma pequena e charmosa cidade da Bahia,  mas ainda com alguns meses de vida, veio para Feira de Santana, a segunda maior cidade baiana. Cresceu, estudou, casou e teve filhos, nessa cidade, onde viveu a maior parte da sua vida. Atualmente vive em Itabuna, sul da Bahia, ao lado de filhos, filha, nora e um neto. Aos 17 anos fez o seu primeiro vestibular e ingressou na Universidade pública, num curso de Licenciatura em Ciências, por influência do irmão, mas após um ano, abandonou o curso,  ao confirmar definitivamente que Matemática e Física não lhe faziam nada bem. Fez outro vestibular e decidiu que não aproveitaria nenhuma matéria do curso anterior. Foi aprovada com louvor, recebendo da Universidade Estadual de Feira de Santana, um cartãozinho de congratulações pela excelente redação. Ingressou no curso de Letras com Inglês, especialmente pelo interesse em Literatura. Àquela época, o seu curso oferecia, Literatura Portuguesa e Brasileira e muitas monografias eram exigidas ao longo dos semestres. 
A Literatura, na verdade, esteve presente em sua vida, desde a infância. Logo após ser alfabetizada, interessava-se por todo tipo de leitura e rabiscava poemas para as amigas da escola e familiares.
Em 1988, já casada e com dois filhos, publica o seu primeiro livro de poesia contemporânea, estimulada pelo marido que reuniu seus escritos espalhados pela casa ao longo dos anos e providenciou a edição do seu primeiro livro, Pedaços (Editora Interbahia).
Um grande intervalo  aconteceu, até que viesse o segundo livro. Afastou-se do meio literário, mas não da escrita e foi cuidar da criação dos filhos e dos negócios em uma pequena empresa de locação de filmes, especialmente após a separação, quando as demandas ficaram maiores. Nesse meio tempo, participou de um Concurso do Sesi, obtendo o segundo lugar e teve três poemas publicados na Antologia referente ao concurso.
Com filhos já crescidos e independentes, lança o seu segundo livro, Por Todo Risco, de forma independente, em 2013. Esse livro a coloca de forma definitiva na cena literária de Feira de Santana. Passa a participar de Saraus, programas de rádio, interferências poéticas em shows de cantoras e cantores amigos, compõe canções em parceria, cria o Sarau das Mulheres em Feira de Santana que teve duas edições e publica em 2014, Lume dos Anseios (Edições MAC – Coleção Vinho e Poesia). 
Em 2016 deixa tudo em Feira de Santana para morar perto dos filhos no sul da Bahia. Em 2017 ingressa no Mulherio das Letras Nacional e em seguida, junta-se a um grupo de escritoras baianas, formando o regional, Mulherio das Letras da Bahia. Foi uma das organizadoras da I Antologia do Mulherio baiano, Outras Carolinas – Mulherio da Bahia (Editora Penalux/2017), foi também a revisora e participou com dois poemas. Ainda em 2017, obteve Menção Honrosa pelo segundo lugar no II Prêmio Sosígenes Costa de Poesia. Em 2018, publicou o quarto livro de poesia, De foro íntimo (Editora Penalux) e foi a vencedora do III Prêmio Sosígenes Costa de Poesia com o livro, Na Veia da Palavra, que sairá pela Editus. Participou de diversas Antologias, publicou em Revistas eletrônicas como, Mallarmargens, Amaité, Literatura e Fechadura, Escrita Dróide, Ruído Manifesto, Revista Ser MulherArte. Tornou-se, desde 2017, Articuladora do Mulherio das Letras da Bahia e atualmente, atua como Editora adjunta da Revista Ser MulherArte. Lançou recentemente o seu primeiro Romance, depois o AMOR (Selo Ser MulherArte Editorial/2020), no formato digital.


Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A poesia bela e visceral de Jade Luísa

Uma Colher de chá pra ele - Fabrício Brandão

Quatro poemas de Rita Delamari

Improvisos & Arquivos 06 | O que eu observei nessa pandemia - publicação coletiva

Zezé Freire | 4 poemas

Camila Pina | Uma pausa pra falar de gênero

Coluna | Ouvindo Mulheres 11 - O poder sagrado de Auritha Tabajara

Isabel Furini & Luciane Valença | 5 poemas 5 telas

Fotografia 7 | Projeto Pixel Ladies + Revista Ser MulherArte - Gabriela Radde