Resenha do livro infantojuvenil 'Hai-Quintal', de Maria Valéria Rezende


(capa do livro Hai-quintal)

NO HAI-QUINTAL DE MARIA

por Nic Cardeal 


Quintal é um terreno que fica atrás de uma casa de moradia ou junto a ela, onde geralmente se cultiva um jardim ou uma horta, às vezes ambos.

Ouvi dizer que uma tal de Maria gosta demais da conta de quintais. Gosta tanto, tanto, que já viveu em muitos lugares pelo mundo e - adivinha o que sempre tinha em todos eles - os seus lugares assim feitos de lares? Quintais! 

Ainda não conheci nenhum dos tantos quintais de Maria, desses de verdade, em 'carne e osso', de cavoucar a terra e arrancar 'daninhas', de abrir sulcos para o adormecer das sementes. Mas eu descobri um outro quintal de Maria! Diferente. Fascinante. Até mesmo reluzente! Nele, essa tal de Maria usa palavras como sementes! E tudo nasce incandescente. Até haicais - uns tais de tesouros descobertos no quintal!

HAI-QUINTAL: HAICAIS DESCOBERTOS NO QUINTAL é um livro escrito por MARIA VALÉRIA REZENDE (AUTÊNTICA, 2011), com lindas ilustrações de Myrna Maracujá, no qual a nossa querida criadora do Mulherio das Letras se entrega a narrar para o público infantojuvenil o universo simples e surpreendente de um pequeno (grande) quintal. Maria Valéria sabe muito bem semeá-las bem juntinhas ou até mesmo separadas, em haicais deliciosos de ler e de ouvir, construindo verdadeiros encantamentos na imaginação, ao falar da Lua no quintal, do sereno nas folhas, de pisar descalça na terra úmida, do gato que adora visitar o quintal, das flores e das folhas caídas ao chão, da lagarta a se fantasiar de borboleta, do mamoeiro e do mamão na sua mão, do sabiá em seu ninho fazendo planos pro seu filhotinho, do bem-te-vi que te viu e fez de conta que não, da formiga carregando a folha da goiabeira, da água da chuva, da rolinha sozinha e miúda, da libélula toda contente com suas asas ligeiras, das flores da acácia, da mangabeira rugosa e da manga fibrosa. E da Lua que já chega novamente pra dizer que é hora de recolher o gato e de avisar ao vaga-lume que é preciso acender a luz outra vez!

Hai-Quintal dessa tal de Maria é um terreno que fica dentro - na casa de moradia da alma e do coração - da Maria. Onde ela - a Maria - está sempre cultivando um jardim, uma horta, com palavras espalhadas feito sementes ao vento! Assim é o incrível e autêntico Quintal da Maria, que de tudo apronta "pra ensinar muita gente a gostar de ler e escrever" (REZENDE, 2011, p. 38)! Por isso mesmo que, como diz Maria, "livro fechado/é borboleta dormindo,/aberto, voa!" (REZENDE, 2011, p. 12).

Que tal dar um passeio no Hai-Quintal da Maria? Recomendo muito! Vale a pena, a asa, o voo!

(foto do acervo da autora)

MARIA VALÉRIA REZENDE nasceu em Santos/SP, onde viveu até os dezoito anos. Em 1965 entrou para a Congregação de Nossa Senhora - Cônegas de Santo Agostinho.

Dedicou-se sempre à educação popular, primeiro na periferia de São Paulo e, a partir de 1972, no Nordeste, vivendo em Pernambuco e depois  na Paraíba,  no meio rural até 1988 e, desde então,  em João Pessoa,  onde está até hoje.

Em 2001 lançou seu primeiro livro de ficção,  'Vasto mundo'. É também autora de 'O voo da guará vermelha', 'Modo de apanhar pássaros a mão',  'Ouro dentro da cabeça ', 'Histórias daqui e d'acolá', 'Hai-quintal: haicais descobertos no quintal', 'Quarenta dias' (vencedor do Prêmio Jabuti 2015), 'A face serena', 'Outros cantos' (vencedor dos Prêmios Casa de las Américas, Jabuti 2016 e São Paulo), e 'Carta à rainha louca', entre outros.












Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

Mulher Feminista - 16 Poemas Improvisados - Autoras Diversas

Prosa Poética | Impiedosa Realidade, por Jeane Tertuliano

Poema | Sequela do Amor, por Jeane Tertuliano

Especial Literatura | Vinte autoras de/em Cuiabá

Prosa Poética | Infortúnios Nocivos, por Jeane Tertuliano

Uma crônica de Dalva Maria Soares | "A janta tá pronta?"

coluna 02- Nas trilhas Femininas do Cordel

Preta em Traje Branco | A autoestima concebida de Arleide Nascimento

Preta em Traje Branco | Trinca de Versos de Valéria Mendonça

Nordeste Maravilhoso - Viva as Mulheres Rendeiras!