Antologia Ruínas, a poesia literalmente construtiva! - Chris Herrmann

Antologia Ruínas - Ed. Patuá, 2020


Antologia Ruínas
A poesia literalmente construtiva!
por Chris Herrmann

Hoje, 21 de Março, é o Dia Mundial da Poesia. Isso me fez lembrar da Antologia Ruínas e o quanto a poesia pode significar, mesmo quando parece para nada servir. Quando li a primeira vez sobre a ideia desta antologia em uma postagem do amigo editor Eduardo Lacerda, minha primeira reação foi a de querer participar. Porque não se trata apenas de uma coletânea de poemas como muitas outras existentes. Trata-se de um “mutirão de poetas“ para contribuir por uma bela causa: um apoio financeiro para a reforma da Livraria e Bar Patuscada - palco de muitos eventos literários, lançamentos e encontro de amigos. Eu mesma lancei em 2018 o meu romance pela Patuá Borboleta - a menina que lia poesia no Patuscada. Foi a primeira vez que estive lá e fiquei encantada com o ambiente aconchegante e o carinho dos amigos, principalmente dos anfitriões, o editor Eduardo Lacerda e sua maravilhosa esposa Pricila Gunutzmann

Passaram-se dois anos desde então, e agora tenho o prazer de participar de uma antologia que marca um momento histórico e sentimental daquele bar que deixou muitas lembranças entre tantos amigos escritores e poetas como eu. Sei que fui apenas um grãozinho nessa empreitada, mas todos juntos somos a prova de que o amor à arte e à amizade têm grande força edificante, literalmente. 

Abaixo, meus dois poemas publicados na antologia:


RUÍNAS I
Pedra sobre Pedra

não era apenas mais uma pedra
entres tantas das ruínas

ninguém a observara de perto,
e por que haveria?

de certo, ninguém saberia contar
a história das lágrimas mudas

aquela pedra bruta e manchada
foi a primeira a erguer nossos sonhos

e a derradeira a testemunhar
nosso fim entre os escombros


Foto: Pixabay

RUÍNAS II
Água de pedra

cegando o sonho
cobrindo a terra
matando a árvore
eram milhões
de pedras

numa delas
uma flor
suja de terra
lavando a alma
sugando água
de pedra-sabão


• a Antologia Ruínas pode ser adquirida AQUI.




Chris Herrmann é musicista, editora, escritora/poeta carioca, radicada na Alemanha desde 1996. No Brasil, estudou Literatura, Música e Webdesign. É pós-graduada em Musikgeragogik na Alemanha. Organizou e participou de várias antologias de poemas. É autora dos livros de poesia Voos de Borboleta, Na Rota do Hai y Kai, Gota a Gota, Cara de Lua e dos romances Borboleta – a menina que lia poesia e Peccatum (este último a ser lançado em 2020). Colabora e tem poemas publicados nas revistas eletrônicas Algo a Dizer, Zona da Palavra, Blocos Online, Revista Plural – Scenarium, Mallarmargens, Germina, entre outras. Criou a revista Ser MulherArte, da qual é editora.

Comentários

  1. Poemas lindos, para um projeto maravilhoso! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi uma honra para mim participar. Realmente um projeto lindo. Obrigada, Lia.

      Excluir
  2. Oi, Chris! Parabéns pelas 2 poesias e por todo seu trabalho! Ao elaborar Na Rota do Hai y Kai, em algum momento leu sobre uma das precursoras na tradução do hai cai no Brasil, chamada Olga Savary?
    Abraços, Rizolete Fernandes, Natal RN, NE do Brasil.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A terapia da palavra em quatro poemas da jovem escritora Maria Luiza Brasil

PodPapo 07 | Entrevista com a cantora e multiartista Lica Cecato

A beleza no humanismo e na denúncia da poesia de Edir Pina de Barros

PodPapo 09 - entrevista com a escritora, editora e coordenadora do Focus Brasil NY Nereide Santa Rosa

Um conto de Marithê Azevedo | "Céu Escuro"

Para não dizer que não falei dos cravos | Poemas e videopoemas de Rogério Bernardes

Três poemas de Dayane Soares | Uma poética do tempo e da ancestralidade

Um miniconto de Silviane Ramos | "De que cor ficou?"

Divina Leitura | As multiplicidades de "Santuário" de Maya Falks

Quatro poemas de Helenice Faria | Uma poética da resistência