Seis poemas de LIGIA SAVIO

capa do livro No dorso da palavra


A POESIA MARCANTE DE LÍGIA SAVIO

Mel de verso e letras
farto rio
me escorria
pela boca
pelos poros:
lambi
dedos e lábios
cavalguei
no dorso das palavras.



Foto: Arquivo Pessoal


M
Uma desconhecida
uma mulher
uma mulher qualquer
uma mulher
também ninguém
uma mulher de nada
uma mulher do mal
uma mulher de escrita
uma mulher sem luz
(escarrou nos bons sentimentos
e riu por último)



Foto: Arquivo Pessoal



Tudo caduco.
Casa, pessoas.
Sempre uma casca.
O novo perturba
as horas programadas
há muitos anos.
Entre o silêncio
(no qual me escondi)
e os gritos de raiva
(que nunca transformaram)
faltou dizer as palavras certas
secas e afiadas.



Foto: Arquivo Pessoal



Acordou com uma ânsia nova
uma sede de azul.
Pôs uma estrela na cartola
guizos nos sapatos
sementes mágicas nos bolsos.
Saiu à rua
pisando em nuvens
os cabelos desabrochando.

Dormiu com três injeções na veia
e uma camisa de força.



Foto: Arquivo Pessoal



Beberagem

No fim
depois de engolir todos os sapos
e alquimizá-los
eu bebo a aragem.


   * ilustração de capa: Márcia Cardeal 



Tenho algo de anjo e morcego
me dou bem com vampiros,
mas quando a barra pesa
e a noite me cai n'alma
espero um raio de sol...
O primeiro raio dourado
que me encontre desperta
e me alimente com sua luz
pra que eu possa partir novamente
por estradas escuras.
Labirintos de sonho e silêncio
ou abismos de fogo:
nada disso me assusta
ou detém minhas garras,
minhas unhas de seda.
E entre o sol e uma lua de sangue
me divido em suspiros
até achar uma estrela de prata
que me torne completa
que me torne una e inteira
talismã de mim mesma.


✒✒✒✒✒


(*poemas integrantes do livro No dorso da palavra, de Ligia Savio, Porto Alegre/RS: LiquidBook, 2018)





LÍGIA SAVIO nasceu e reside em Porto Alegre/RS. É professora de Português, Francês e Literatura, área em que prestou mestrado e doutorado. Participou de antologias de contos e poemas (Teia contos, Teia 2, Paisagens), além de publicar em jornais e revistas literárias,  integrando-se ao movimento alternativo ou independente das artes na década de 70. Além de No dorso da palavra (2018), é autora do livro Fios de aço, publicado em 2019 pela editora Letramento, de Belo Horizonte/MG.

Comentários

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A terapia da palavra em quatro poemas da jovem escritora Maria Luiza Brasil

PodPapo 07 | Entrevista com a cantora e multiartista Lica Cecato

A beleza no humanismo e na denúncia da poesia de Edir Pina de Barros

Para não dizer que não falei dos cravos | Poemas e videopoemas de Rogério Bernardes

A Poesia grandiosa de Rita Santana - seis poemas

Um conto de Érika Gentile | "Dor"

Três poemas de Dayane Soares | Uma poética do tempo e da ancestralidade

Um miniconto de Silviane Ramos | "De que cor ficou?"

Divina Leitura | As multiplicidades de "Santuário" de Maya Falks

Cinco poemas de Paula Valéria Andrade | A Pandemia da Invisibilidade do Ser