A belíssima poesia de Érica Azevedo - seis poemas



Carmen Luna


Esquinas

Entre passos e paisagens
os dias atravessam
mares e planos.

Entre becos e caos
a lama e a grama
seguem sem fronteira.

Há uma rua
nos olhos de minha esperança:
Paredes, becos e tempos
em branco.

Há uma esquina
em minha estrada
que margeia palavras
e escapa lucidez.

Luciane Valença

  Partituras

Laços e sonhos
emaranhados no peito.

A veia rasgada de esperança
alimenta os nós do desejo:
partituras de verbos
e sentimentos.

A marca apagada
no papel rasgado
-Aborto de verso-
declaração e silêncio.


imagem pinterest -borboleta abstrata

Desajuste

Uma borboleta intrusiva
insiste
entrar no casulo.

O experimento do mundo
fora demasiado doloroso.

Carmen Luna
Instantes

Uma bala
perpassa meu peito
bem devagarzinho...
E sigo cheio de morte
pela vida.

Luciane Valença
Beija-flor 

Tua ausência é chuva
que deixa cheiro na terra
antes de chegar.

Tua palavra é afago,
manhã que nasce sem pressa
e traz o sol.

Teu carinho é beija-flor
que espalha jardim
e encena o caminho do céu.

Luciane Valença

Ritual

Meu útero expulsa memórias
dos porões e açoite:
meu dna constrói palavras-mares
que dançam carregadas de sonhos
e rasgam os silêncios. 



 Érica Azevedo nasceu em Santo Estevão (BA) e encontrou abrigo nas palavras ainda criança. É graduada em Letras Vernáculas e Mestre em Literatura e Diversidade Cultural pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). É escritora e professora de Língua portuguesa, Redação e Literatura. Participou das coletâneas Sangue Novo: 21 poetas baianos do século XXI (Escrituras, 2011), Confraria Poética Feminina (Penalux, 2016), Confraria Poética Feminina volume II (Penalux, 2018) e O Sarau: doze poetas viscerais recitando na boca da noite (Mondrongo, 2017), Tudo no mínimo: antologia do miniconto na Bahia (Mondrongo, 2018), Conexões Atlânticas (In-finita, 2018). Publicou Vida em poesias (Edições MAC/ Feira de Santana, 2002), Outros eus (Kalango, 2013), A chuva e o labirinto (Mondrongo, 2017), Cata-vento de Sonhos (Mondrongo, 2019). Integrante dos coletivos Confraria Poética Feminina e Mulherio das Letras. Participa das plataformas Escritoras Negras da Bahia (http://escritorasnegras.com.br/escritora/erica-azevedo/) e Mapa da Palavra (http://mapadapalavra.ba.gov.br/erica-azevedo/).





Comentários

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A terapia da palavra em quatro poemas da jovem escritora Maria Luiza Brasil

PodPapo 07 | Entrevista com a cantora e multiartista Lica Cecato

A beleza no humanismo e na denúncia da poesia de Edir Pina de Barros

PodPapo 09 - entrevista com a escritora, editora e coordenadora do Focus Brasil NY Nereide Santa Rosa

Um conto de Marithê Azevedo | "Céu Escuro"

Para não dizer que não falei dos cravos | Poemas e videopoemas de Rogério Bernardes

Três poemas de Dayane Soares | Uma poética do tempo e da ancestralidade

Um miniconto de Silviane Ramos | "De que cor ficou?"

Quatro poemas de Helenice Faria | Uma poética da resistência

Divina Leitura | As multiplicidades de "Santuário" de Maya Falks