Uma resenha de Hugo Pontes do novo Romance de Chris Herrmann - PECCATUM


arribaçã editora/2020


PECCATUM Romance de Chris Herrmann Ano de 2020

 por Hugo Pontes

 Se buscarmos no século XIX o que foi o Romance Urbano, deparamo-nos com o enfoque temático voltado para uma vida social de época cuja característica primeira era retratar e criticar os costumes da sociedade. Dessa forma, os estudiosos da literatura denominaram essa fase de Romance Realista. Os personagens não são mais os aristocratas com seus rígidos códigos de honra e os valores da nobreza para serem tão somente pessoas vivas, comuns, de origem burguesa ou do povo envolvidas em dramas humanos, tais como: casos sentimentais, sociais, políticos e financeiros tão comuns em todas as épocas entre a maioria das pessoas nas diversas camadas da sociedade. Peccatum, palavra de origem latina que significa falta, má ação, erro e – sob o viés religioso, pecado - é o título do romance de Chris Herrmman que narra a história de amor, nos anos de 1970 do século 20, entre Carolina e Teresa, mulheres que se conhecem e acabam por se perceberem apaixonadas uma pela outra. Tendo a mulher como tema central, o romance enfoca, com perspicácia, e profundidade crítica os limites da identidade feminina em que a homossexualidade se faz presente sendo o fio condutor da tensão sexual que permeia o romance entre duas mulheres. Destaque para os aspectos evidenciados pela autora que mostra uma sociedade que reprime o comportamento feminino e homo afetivo e faz brilhar o holofote sobre as mulheres que ousam buscar um sentido para a vida e para a felicidade. Além do aspecto sentimental, a autora conduz a narrativa com tal brilhantismo que supera não somente os limites de gênero e da identidade sexual das personagens, como traça detalhes minuciosos do dia a dia de uma família em sociedade, relacionada ao cotidiano de uma cidade pequena do interior com suas crenças, costumes, religiosidade, comportamento político e econômico. Deparamo-nos, também, que a linha do tempo, na narrativa, obedece a datas e acontecimentos reais que marcaram parte da história de um Brasil em regime de exceção, numa alternância entre a ficção e a realidade, colocando, assim, o leitor dentro da obra. Outro aspecto a ser evidenciado é o fato de que o tema explorado, seja no romance, conto, poesia ou crônica na literatura brasileira, é ainda tabu.

 * Hugo Pontes é professor, poeta e jornalista.


O Romance Peccatum está sendo vendido no site da Arribaçã Editora:





Chris Hermann é escritora que transita entre a prosa e poesia, musicista, brasileira com cidadania também alemã (reside na Alemanha há vários anos) e este é o seu segundo Romance.


Comentários

  1. Resenha do Hugo Pontes que me emocionou muito. Obrigada pela publicação, Lia querida. 🤍

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resenha maravilhosa mesmo. Foi um prazer publicar, Chris!

      Excluir

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A terapia da palavra em quatro poemas da jovem escritora Maria Luiza Brasil

PodPapo 07 | Entrevista com a cantora e multiartista Lica Cecato

A beleza no humanismo e na denúncia da poesia de Edir Pina de Barros

PodPapo 09 - entrevista com a escritora, editora e coordenadora do Focus Brasil NY Nereide Santa Rosa

Um conto de Marithê Azevedo | "Céu Escuro"

Para não dizer que não falei dos cravos | Poemas e videopoemas de Rogério Bernardes

Três poemas de Dayane Soares | Uma poética do tempo e da ancestralidade

Um miniconto de Silviane Ramos | "De que cor ficou?"

Divina Leitura | As multiplicidades de "Santuário" de Maya Falks

Quatro poemas de Helenice Faria | Uma poética da resistência