Perfil de cantora - Ilka Vilardo



Conheci a Ilka em 1989, trabalhando na mesma empresa que ela, no Rio de Janeiro. Além de cantora, ela é engenheira química. Desde então ficamos amigas e me apaixonei pela sua performance que tive o privilégio de assistir várias vezes. 

A seguir, um pouquinho dessa voz e interpretação únicas.








Ilka Vilardo


Na adolescência cantou em clubes, saraus, festivais estudantis e participou de conjunto de baile.
Na década de 1980 integrou bandas de rock. Por essa época, atuou como backvocal da banda de Roberto Bataglin, com o qual se apresentou no Circo Voador, Botanic, Rock In Rio e Studio 54, entre outras casas noturnas do Rio de Janeiro. 
No ano de 1991 transferiu-se para Roma, onde passou a fazer shows em casas noturnas da cidade, assim como em cidades periféricas.
Em 1992, de volta ao Brasil, formou a banda Quarta Intenção, integrada somente por mulheres instrumentistas, tendo como repertório alguns clássicos da MPB. Com o grupo apresentou-se no circuito do SESC Rio de Janeiro e no de São Paulo, além de shows em casas noturnas do Rio de Janeiro, tais como Rio Jazz Club, Bar Brasil, Vinicius Piano Bar e Purple Rain. Por essa época fez parte do quarteto vocal do maestro Aluízio Lages, apresentando-se no Fluminense Futebol Clube e em casas notunas do interior do Estado do Rio de Janeiro.
No ano 2000 montou o show "Sem fronteiras", com direção artística da atriz Maria Ceiça, no qual interpretou músicas brasileiras e italianas. Apresentou o show nas casas noturnas Mistura Fina, Maestro Carioca e Sagrada Família, como também em eventos fechados no Hotel Glória e Hotel Intercontinental, ambos no Rio de Janeiro.
Também com direção artística de Maria Ceiça, montou o espetáculo "Retratos do Rio", levado aos palcos do Mistura Fina, Vinicius Piano Bar, QG Music Hall, Café New Books e na Casa de Cultura Estácio de Sá, sendo entrevistada no talk-show de Miele.
Em 2007 apresentou o show "Retratos do Rio" em Londres, no pub The Dog House, em banda integrada por músicos ingleses e brasileiros, originando seu primeiro CD homônimo. No ano seguinte, em 2008, em parceria com o pianista Osmar Milito, montou diversos espetáculos nas comemorações aos 50 anos da bossa nova, apresentando-se no Enotria Bistrô, Espaço Cultural Maurice Valansi, Espaço Rio Carioca, Espaço Zozô, Bar Cais do Oriente e Restaurante Bossa Lounge.
No ano de 2010 apresentou-se com o espetáculo "Alma italiana".
Durante a carreira apresentou-se em vários países, entre eles Estados Unidos (Bar Red Eye Grill - New York); Itália ("Festival de Jazz Villa Celimontana" - Roma) e Austrália (Club Med de Lindmann).

Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A terapia da palavra em quatro poemas da jovem escritora Maria Luiza Brasil

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

PodPapo 09 - entrevista com a escritora, editora e coordenadora do Focus Brasil NY Nereide Santa Rosa

A beleza no humanismo e na denúncia da poesia de Edir Pina de Barros

Um conto de Marithê Azevedo | "Céu Escuro"

Improvisos & Arquivos | árvore/poemas - publicação coletiva

Divina Leitura | As multiplicidades de "Santuário" de Maya Falks

Quatro poemas de Helenice Faria | Uma poética da resistência

Três poemas de Dayane Soares | Uma poética do tempo e da ancestralidade

Um miniconto de Silviane Ramos | "De que cor ficou?"