Seis poemas - por Eliana Mora

Monet


V i t a l

é regressar
ancorar
[pertencer]

**

Intangível


Como o alto
das mais altas árvores
que ainda possam existir

Intangível

como o alto da mais alta estrela
que pudesse alguém ter sonhado

Intangível

como o Sol
toda majestade de sua luz que cega

Um amor assim

com cercas e muros enormes
com raios que impedem a passagem
destroem os mitos e celas 

Com aquela falta

com aquele fausto
com aquela mágoa
com a Via Láctea corroída pelo breu.
Intangível
[tornei-me eu]



Vladimir Volegov - óleo sobre tela Original

Risco Assumido

Assim
como se o mundo por instantes desmaiasse

e ela nada tivesse a fazer
a não ser pensar

sonhar
ou se perder

deitou-se devagar nos grãos de areia

úmidos
encolhidos pela bruma de um outono estranho
relaxou
pupilas no céu
e desligou a máquina;
embora
com esse gesto
corresse o risco de tornar-se.
humana.

** 

Ação rápida
Massageei hoje
o coração da Vida

[e ela ressuscitou]
Lionel Noel Royer
ÍRIS



sabe-me a nuvens
certa visão lúcida
lúdica
moderna e deformada
do que sonhei


Imagem da internet sem indicação de autoria

Quase realidade


Vi
um desencanto
em feitio de vitral
a desenhar penumbras
por toda a minha
face.


**



Eliana Mora nasceu no Rio de Janeiro, e teve a infância ‘embalada’ pelas músicas e poesias que seu pai compunha. Possui grau de mestre na “Arte de Dizer”, do Curso Olavo Bilac -, e em Jornalismo. Trabalhou em revista, rádio, televisão, e faz Assessoria de Imprensa. Promove seus próprios cursos de Voz e Interpretação de textos. Faz parte do movimento modernista internacional Poetrix [MIP].
“Mar e Jardim”, com 152 poemas do período 1999/2002 -- é seu livro de estreia – de 2003. Tem seu espaço de Arte, Cultura e Poesia no endereço liriodeserto.blogspot.com.br. Hoje, com as redes sociais, fica mais fácil ler a poesia [com links para os blogs]. Exemplo: Facebook, Tweeter -, onde é Eliana Mora [El]. Faz parte do grupo "Café com Poesia [e Arte], e de outros grupos de Poesia atuantes na cidade de Juiz de Fora. 





Comentários

  1. Caríssima Lia Sena. Meu enorme obrigada! Adorei tuas escolhas e tudo, enfim. Só posso agradecer de alma e 💖. Um enorme abraço!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A terapia da palavra em quatro poemas da jovem escritora Maria Luiza Brasil

PodPapo 07 | Entrevista com a cantora e multiartista Lica Cecato

A beleza no humanismo e na denúncia da poesia de Edir Pina de Barros

PodPapo 09 - entrevista com a escritora, editora e coordenadora do Focus Brasil NY Nereide Santa Rosa

Um conto de Marithê Azevedo | "Céu Escuro"

Para não dizer que não falei dos cravos | Poemas e videopoemas de Rogério Bernardes

Três poemas de Dayane Soares | Uma poética do tempo e da ancestralidade

Um miniconto de Silviane Ramos | "De que cor ficou?"

Quatro poemas de Helenice Faria | Uma poética da resistência

Divina Leitura | As multiplicidades de "Santuário" de Maya Falks