A Poeta Marilia Kubota - "Esperando as Bárbaras"

foto Inês Santos 

Q U A N T O   À S   E S C A P U L A S

quanto às escapulas
faltam asas
por isso fico em casa
tramando pra que os pássaros
nunca saiam
e se percam
como as palavras soltas
com as quais golpeio a página.


C O R E S

preto preto preto.
são as unhas sujas
na banca de frutas.

branco branco branco
o sorriso cúmplice
de manhãs de sol.

preto cinza preto.
a tinta que turva
a lua do poeta.

cinza carmesim.
é a maçã e a sombra
traçadas pelo pincel.


E U  T A M B É M  Q U E R O

eu também quero 
mentir bastante
eu também
gritar céu-silêncio 
eu
(impossível controlar)
quero que você sirva
ao ponto cego
se entregue à fúria
 não acredito
num deus que desmancha


S U B V E R S Ã O

abrir a porta,
todas as manhãs 
colocar o tijolo que cabe
no edifício da super produção de bens.

ao meio-dia pastar nuvens,
depois de comer
boa comida para bons músculos.

ao fim do expediente,
retirar, sorrateiro,
o tijolo, penélope.

pelo prazer de furtar 
o troféu
da eficiência operária.


O  G R I T O

 e veio a luz sem sol 
na sombra do defunto:
o céu cobria o frio 
o fel, o pão e a lua. 
a rua sonhou 
quem foi.
o fogo apagou o dia: 
 foram um a um. 

o querubim lambuzou quindins: 
-  a vida vale vida?
- peso morto vira bosta?
 o arcanjo fuzilou indigentes. 

oh, lord! won’t you buy me
a night on the town?

Eu só quero ter um chão 
só quero ser estrela
 l e a v e m e a l o n e. 


foto arquivo Facebook  da autora

Marília Kubota (Paranaguá/PR) é escritora e jornalista. Participou dos livros Pindorama (2000), Passagens (2002) 8 Femmes( 2007), Antologia da Poesia Brasileira do Início do Terceiro Milênio (2008), Selva de Sentidos (2008), Blablablogue(2009) e Todo começo é Involuntário - Poesia Brasileira no século 21 (2011). Em 2010 organizou a antologia Retratos Japoneses no Brasil - Literatura Mestiça, que recebeu um Prêmio Nikkei de literatura em 2011. Em 2008, organizou o Concurso de Haicai Nempuku Sato. Em 2009, Passou a ser editora MEMAI - jornal e site de letras e artes japonesas. É mestre em estudos literários pela UFPR, onde estudou as narrativas japonesas de Valêncio Xavier.

Comentários

Postar um comentário

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A poesia bela e visceral de Jade Luísa

Uma Colher de chá pra ele - Fabrício Brandão

Improvisos & Arquivos 06 | O que eu observei nessa pandemia - publicação coletiva

Zezé Freire | 4 poemas

Camila Pina | Uma pausa pra falar de gênero

Pôr do Sol | um conto de Vera Ione Molina

Coluna | Ouvindo Mulheres 11 - O poder sagrado de Auritha Tabajara

Isabel Furini & Luciane Valença | 5 poemas 5 telas

A poesia magistral&impecável de Águeda Magalhães