Poema e pintura de Sol Figueiredo

Bem-vindos ao espaço Ser MulherArte! 🤍
Eu, Sol Figueiredo, estarei aqui como colaboradora da minha amiga escritora, editora desta revista - Chris Herrmann, bem como junto a outras mulheres das artes com publicações de algumas de minhas obras literárias e de outras artistas e escritoras que aprecio.

E para iniciar esse espaço trago um poema com um dos meus quadros, que já foi premiado pela Associação Poemas à Flor da Pele em 2018 no Concurso de Imagens em 1° Lugar com a capa da antologia e, também, em dezembro de 2019 participou da Exposição no Forte de Copacabana da Academia Brasileira Medalhística Militar com Menção honrosa. 

PERFEITA PINTURA

Já pinto-te com as mais belas cores,
Desenho-te na tela docemente,
Teus suaves detalhes, simplesmente...
No pincel, o calor de tais amores!

Vai deslizando a tinta entre os vetores,
Colorida, a cor da manhã na mente,
Um amor feito quão só a gente sente,
A cor sentida, a cor linda das flores!...

E pinto-te suavemente em mim,
Sim, guardando-te no meu coração,
Um painel assim: a perfeição!...

Tu és um arco-íris feito de amor,
Brilhante, mais do que o Sol; brilha a cor!...
Lábios? Doce tom, cor de carmim.

SOL Figueiredo – 1º de dezembro de 2013 – 21h.

Poema publicado no livro "Palavras Sem Fronteiras" e lançado em 24 de janeiro de 2020 em Buenos Aires.




Comentários

PUBLICAÇÕES MAIS VISITADAS DA SEMANA

A terapia da palavra em quatro poemas da jovem escritora Maria Luiza Brasil

Cinco poemas de Eva Potiguar | Uma poética de raízes imersas

PodPapo 09 - entrevista com a escritora, editora e coordenadora do Focus Brasil NY Nereide Santa Rosa

A beleza no humanismo e na denúncia da poesia de Edir Pina de Barros

Um conto de Marithê Azevedo | "Céu Escuro"

Improvisos & Arquivos | árvore/poemas - publicação coletiva

Divina Leitura | As multiplicidades de "Santuário" de Maya Falks

Quatro poemas de Helenice Faria | Uma poética da resistência

Três poemas de Dayane Soares | Uma poética do tempo e da ancestralidade

Um miniconto de Silviane Ramos | "De que cor ficou?"